​Sobre o casamento: abalado, um homem descobre as verdadeiras faces da sua namorada e da sua enteada.

Com retrospectiva

Partilhar no Facebook
941 941 Partilhas

Sobre o casamento: abalado, um homem descobre as verdadeiras faces da sua namorada e da sua enteada.

Apesar de ter sido ele a organizar e a pagar todo o evento do seu bolso, nenhuma das 20 pessoas que ele queria que comparecessem naquele dia foram convidadas; aliás, nem uma delas. É então que ele descobre a verdade e decide reagir da forma mais corajosa possível: 

“A minha enteada vai-se casar no dia 3 de Agosto. O planeamento do seu casamento tem sido o centro da sua vida e o da sua mãe nos últimos 6 meses (digo da sua mãe porque não somos casados apesar de vivermos juntos há 10 anos). 

A minha enteada terminou a universidade no dezembro passado. Fui eu quem financiou por inteiro os seus estudos. […] Ela não conseguiu encontrar ainda um emprego, pelo que continua a viver connosco. Eu também lhe comprei um carro para ela se poder deslocar mais facilmente de casa até à Universidade e vice-versa enquanto estudava. […] 

De tempos a tempos, a sua amostra de pai aparecia na sua vida e ela ficava delirante. Apesar dele não ter contribuído com um único cêntimo para a sua educação ou ter pago sequer o subsídio de alimentação – apesar disso ser culpa da minha namorada uma vez que o subsídio não fez parte do acordo final, porque ela ainda o ama e o quer na sua vida.

Ele fica só o tempo suficiente para lhe partir o coração ao mudar de cidade e quebrar uma promessa qualquer que lhe fez.

Ontem, tivemos um jantar com a futura família da minha enteada; nós e um convidado “surpresa” – o “Pai Verdadeiro”. A minha enteada anunciou que o seu “pai verdadeiro” estaria presente no casamento e que a levaria ao altar. […] 

Acho que nunca me senti com tanta raiva e tão desrespeitado. Estava a tremer. Precisei de alguns segundos para me acalmar. […] Quando tive a certeza que conseguia falar, levantei-me e propus um brinde. Não me lembro as palavras exatas, mas foi algo do género: 

«Gostaria de propor um brinde» o som de talheres a bater nos pratos ressoa na minha cabeça. «Tem sido um verdadeiro prazer fazer parte desta família nos últimos 10 anos» uau, que fofo. «Mas cheguei a um ponto em que tenho que agradecer à noiva e ao noivo, porque eles abriram os meus olhos para algo muito importante» trocaram-se sorrisos de confiança. «Eles mostraram-me que a minha posição nesta família não é a que eu pensava ser». Foi aqui que a confusão e o choque se começaram a espalhar pela cara dos presentes. «Apesar de pensar que era eu o patriarca da família, impondo respeito e sendo procurado em tempos de aflição, parece que na verdade a minha posição é a de caixa-multibanco, bom para dar dinheiro, mas para pouco mais que isso. Uma vez que fui substituído como anfitrião, tanto nos convites como na cerimónia, transfiro também as despesas para o meu sucessor, “Pai Verdadeiro”. Portanto, saúde para os noivos e boa sorte no caminho que eles escolheram!» Acabei a minha bebida e disse:

- Podem sair sozinhos, não precisam de ajuda.”

Depois desse discurso, o padrasto que se sentia humilhado, fez outras descobertas ainda mais preocupantes: a ementa para o casamento continha alimentos aos quais ele era alérgico e a seleção de música foi feita baseada nos gostos do pai biológico. Ele separou-se da sua namorada de 10 anos e não parece minimamente arrependido da sua decisão.

Partilhar no Facebook
941 941 Partilhas

Fonte: Feroce · Crédito foto: Feroce