Uma menina de 11 anos vítima de bullying na escola tira a própria vida.

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Em junho passado, uma menina de 11 anos chamada Évaëlle morreu após ser assediada na escola. Uma marcha de branco ocorrerá no próximo sábado em memória dela, os pais lamentam que a Educação Nacional ainda não tenha tomado medidas concretas para combater o bullying e o cyberbullying.

Numa entrevista concedida ao jornal Le Parisien, o pai de Évaëlle, Sébastien, não hesita em denunciar a inércia da Educação Nacional: "Somente nas duas agressões físicas que Eva havia sofrido, deveria ter sido feito algo ".

Foi em fevereiro que o pesadelo de Evaëlle começou.

A menina foi empurrada várias vezes por um grupo de estudantes que haviam decidido escolhê-la como alvo. Então, um incidente perto de um autocarro escolar terminou com um chapada na cara da meniana. Esse episódio garantiu que os pais de Evaëlle tivessem tomado medidas para denunciar a situação à escola.

Foi, portanto, depois de registar uma queixa contra os três alunos que haviam intimidado Evaelle que os pais perceberam a extensão dos gestos que ela sofrera nas semanas anteriores.

Uma segunda queixa foi apresentada pelos pais contra um professor após a morte de Evaëlle em 22 de junho.

Apesar dessas duas queixas, os pais dizem que nada mudou ainda.

A mãe, Marie, explica: "Essa professora ainda está no cargo. Certamente existe a presunção de inocência a respeito, mas medidas conservadoras poderiam ter sido tomadas".

Por seu lado, a advogada dos pais, Me Delphine Meillet, continua afirmando: "É inadmissível que não houve resposta da Educação Nacional em relação às pessoas implicadas".

Os pais enfatizam que esperavam saber que houve desenvolvimentos durante as férias de verão: "Se no início de setembro a investigação não for encerrada, há dúvida. Ainda é uma questão de repetidas violências psicológicas ".

Finalmente, Marie termina declarando: "Os outros alunos não entendem que alguém possa fazer essas coisas sem ser sancionado. O aluno mais porblemático continua este ano na esocla. Ele assedia um dos amigos de Evaëlle".

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye