Uma mãe morre repentinamente na sequência de de uma picada de inseto, agora a sua família lança um aviso aos outros.

A sua família lança agora um aviso.

Partilhar no Facebook
27 27 Partilhas

Uma mãe morre repentinamente na sequência de de uma picada de inseto, agora a sua família lança um aviso aos outros.

Existem muitas doenças que não conhecemos.

Entre estes, o vírus Bourbon é em grande parte desconhecido do público.

O vírus foi chamado de Boubon após o primeiro homem que morreu em 2014 no condado de Bourbon, nos Estados Unidos.

Esta é uma doença muito perigosa que está a tirar vidas em muitas partes dos Estados Unidos.

Em maio passado, uma mãe chamada Tamela Wilson notou que ela tinha duas carraças no seu corpo enquanto estava no trabalho.

A mulher imediatamente tirou os insetos do seu corpo, acreditando que ela tinha evitado muitos problemas também. 

Mas nas horas seguintes Tamela começou a sentir-se muito estranha.

Como a sensação não desaparecia, Tamela teve que ir ver um médico que a informou que ela provavelmente estava a sofrer de uma infecção do trato urinário.

Então foram-lhe prescritos antibióticos, mas ao longo dos dias seguintes, a condição de Tamela só piorava.

Segundo a sua filha, Amie May, Tamela estava tão fraca que não tinha mais forças para levantar os fones do telemóvel. Ela disse numa entrevista à CBS News: "A minha irmã tentou ligar para ela, mas mesmo que ela pudesse ouvir o telemóvel a tocar, a minha mãe não o conseguiu atender."

Então, a condição de Tamela continuou a se deteriorar, tornando-a ainda mais fraca. A pele da pobre mulher estava a secar e a rachar e nenhum tratamento era capaz de reverter a doença. 

No dia 23 de junho, Tamela deu o seu último suspiro.

A sua família lança agora um aviso.

Se os médicos tivessem descobrido algumas semanas antes que ela estava a sofrer do vírus Bourbon, embora as suas chances de sobreviver tivessem permanecido muito baixas, Tamela ainda assim poderia ter sido salva.

De acordo com Steven Lawrence, especialista em doenças que trabalha na Universidade de Washington, se o médico que tratou Tamela conhecesse melhor o vírus Bourbon, ele poderia ter sido capaz de diagnosticá-lo bem.

É por isso que a família de Tamela decidiu partilhar a história da mãe, porque os seus filhos esperam que a conscientização do vírus Bourbon possa impedir outra morte trágica como a de Tamela. 

Como não há vacina no momento, é muito importante que os médicos possam diagnosticar a doença o mais rápido possível, a fim de ter uma melhor chance de salvar a pessoa.

Então, vamos esperar que a história de Tamela possa ao menos servir para salvar vidas.

E bravo à coragem do seus filhos para dizê-lo!

Aqui está finalmente uma reportagem em inglês sobre a perturbadora e sobretudo evitável história de Tamela: 

____

O que achou deste artigo? Partilhe o seu ponto de vista nos comentários, e partilhe com os seus amigos e familiares nas redes sociais…

Se estiver interessado nas últimas noticias sobre a atualidade, sobre famosos, comédia, animais, lifestyle ou sobre noticias viriais, siga-nos na nossa página no facebook Vamos lá Portugal.

Não hesite em deixar a sua opinião sobre a publicação. 

Partilhar no Facebook
27 27 Partilhas

Fonte: Ayoyemonde · Crédito foto: Ayoyemonde