Uma mãe espanca o filho de 20 meses até à morte porque ele sujou a fralda

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Na Geórgia, uma mãe de dois filhos foi acusada de assassinar o filho de 20 meses, tendo dito aos investigadores que tinha batido na criança porque estava enraivecida porque ele tinha sujado a fralda.

A mãe de 23 anos, chamada Trinity Pittman, que é de Palmetto, foi presa no sábado por assassinato do primeiro grau e crueldade contra crianças.

Pittman levou o seu filho Conner Perry às urgências do hospital na noite de sexta-feira em Newnan, dizendo aos médicos que o filho havia caído de um trampolim. 

No entanto, a equipe médica do Hospital Piedmont Newnan começou a suspeitar que algo estava errado porque os ferimentos da criança eram incompatíveis com a história relatada pela mãe.

De acordo com as informações obtidas pelo canal 11 Alive, a cavidade abdominal de Conner estava cheia de sangue e os pulmões cheios de líquidos. 

A criança também sofria de uma mandíbula partida, cortes e contusões no rosto. Além disso, os médicos descobriram que a criança tinha vários dentes ausentes, além de uma hemorragia cerebral.

Conner foi então transferido para o Atlanta Children's Healthcare, onde morreu às 23 horas.

Informações indicam que Pittman confessou, depois de ser presa, que havia atingido a criança várias vezes porque estava enraivecida pela fralda suja do filho. Ainda de acordo com a mãe, foi durante o ataque que o pequeno Conner teria caído e que teria batido a cabeça no chão. Pittman acrescentou que a criança havia adormecido. 

Horas depois de bater severamente no filho, Pittman foi trabalhar e deixou o filho mais novo, Conner, e o seu outro filho de quatro anos sob os cuidados do seu namorado, Jeremy Davis, 24 anos. 

Pittman mentiu a Davis sobre a queda de trampolim de Conner.

Foi depois da partida de Pittman que o namorado entrou em contato com a mãe para informá-lo que Conner havia acordado a vomitar e tinha dificuldade a respirar.

Fox 5 Atlanta relata que um relatório de autópsia revelou que o corpo de Conner Perry também mostrava sinais de feridas antigas. 

No relatório da polícia, pode-se ler que "Trinity Pittman mostrou indiferença para com o bem-estar do seu próprio filho Conner Perry e ela agiu por maldade pessoal para com a criança, o que levou a lesões física".

A primeira aparição de Pittman ocorreu no domingo e as autoridades recusaram-se a libertá-la sob fiança.

O filho sobrevivente de Pittman está atualmente sob a responsabilidade da família da mãe.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye