Uma mãe espanca o filho até à morte porque ele não quer comer as salsichas.

Uma história horrível.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Esta é uma das histórias mais cruéis do dia e vem dos Estados Unidos, onde uma mãe espancou o filho até à morte porque ele não queria comer salcichas. Sim, você leu bem.

É o jornal Mirror que conta a história de Anthony Bunn, um menino de dois anos cuja vida terminou abruptamente no dia 4 de maio no estado do Kansas. A criança foi espancada até à morte pela mãe, Elizabeth Woolheater e pelo namorado Lucas Diel, porque não queria comer salsochas. O jornal britânico relata que Anthony irritou a mãe porque não queria comer, então ela deu-lhe vários golpes e o namorado também enquanto forçava a comida pela sua boca. 

Como você pode imaginar, o menino não suportou toda essa violência e perdeu a consciência. O Mirror explica que os dois adultos mais tarde notificaram a polícia. Uma vez lá, os policias rapidamente perceberam que ele tinha vários ferimentos graves na cabeça e no rosto. Embora tenha sido levado às pressas para o hospital, o pequeno Anthony morreu dois dias depois. A autópsia revelou que ele tinha vários ossos partidos, inchaço no cérebro, mas que também foi vítima de desnutrição.

A polícia, é claro, prendeu Elizabeth Woolheater e o seu namorado Lucas Diel. O Mirror relata que os dois indivíduos foram julgados na sexta-feira passada e que o tribunal foi severo com eles. A mãe de Anthony foi condenada a 19 anos e 5 meses de prisão. Quanto a Lucas Diel, que negou ter batido no menino, foi condenado a 49 anos de prisão. Eles terão tempo suficiente para pensar em todos os danos que causaram a essa criança que não terá a chance de ver o que a vida lhe reservava. 

O Mirror indica que Elizabeth Woolheater lamenta profundamente o que fez ao seu filho. Infelizmente, é tarde demais para se arrepender. Ela deveria ter pensado nisso antes de abusar tanto dele. Às vezes perguntamos por que algumas pessoas têm filhos se é para tratá-los dessa maneira.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye