Uma jovem é alérgica à água e o seu corpo até reage à sua própria transpiração.

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Uma aluna decidiu quebrar o silêncio sobre a sua alergia à água, um problema extremamente raro que lhe causa erupções na pele quando o seu corpo entra em contato com a água, mas também quando ela sua, chora e toma banho.

A jovem chamada Tessa Hansen-Smith, da Califórnia, EUA, foi diagnosticada com urticária pela água com apenas 10 anos de idade. Desde o início dessa alergia, a vida de Tessa mudou consideravelmente.

Isso afeta-a a tal ponto que ela precisa usar um transporte especial para circular pelo campus da faculdade, para não suar.

Numa entrevista que ela concedeu à Lad Bible, a jovem de 21 anos disse: "É uma situação muito difícil de conviver porque sou alérgica às minhas próprias lágrimas, à minha saliva e sou muito propensa à exaustão pelo calor e tenho que evitar atividades físicas, tenho que ir até ao campus da minha universidade porque caso contrário, venho para a minha aula com febre, enxaquecas e erupções cutâneas, o que dificulta a concentração, também sofro de muita fadiga muscular e náusea, a doença geralmente é causada por algo que comi e que continha muita água, como frutas e legumes, até a água potável pode causar cortes na minha língua ". 

A família de Tessa começou a suspeitar que algo estava errado quando Tessa tinha oito anos de idade. Na época, ela havia desenvolvido uma erupção cutânea depois de tomar um banho.

Os pais de Tessa pensaram que ela era alérgica a algum tipo de sabão.

Tessa continua a sua história: "Para aliviar erupções cutâneas, tomo um comprimido de alergia, mas a urticária aquosa piora com a idade, por isso não funciona como costumava".

Depois que os especialistas perceberam que não era uma simples alergia ao sabão, Tessa e a sua mãe fizeram a sua própria pesquisa na esperança de quebrar o mistério sobre o tipo de doença de que ela estava a sofrer. 

Ela agora está a tomar nove comprimidos por dia, na esperança de manter a sua doença sob controle.

Tessa explica: "Ter urticária aquagênica às vezes pode ser um desafio mental - é difícil tomar tantas pílulas todos os dias sabendo que não vai parar de verdade. A dado ponto, eu tomaca 12 comprimidos por dia, agora estou a tomar nove, sou lembrada com frequência de que não há cura para a urticária aquosa e que nunca serei realmente melhor, o que às vezes é difícil de ouvir "

Mas, apesar dos desafios diários que Tessa enfrenta, ela está convencida de que não permitirá que a sua situação dite como ela levará o resto de sua vida: "Sempre estive muito determinada a ser independente e deixar a minha cidade. Estou a fazer o possível para levar as coisas um dia de cada vez, porque alguns dias são melhores que outros, se eu puder ver os meus amigos e familiares sem precisar sair mais cedo, porque cause 'um mal-estar, ou ir a todas as minhas aulas num dia, vejo isso como uma vitória no meu livro'.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye