Um pedófilo vai ser castrado quimicamente após uma nova lei ter sido aprovada.

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
11,421 11.4k Partilhas

Um pedófilo do Cazaquistão será a primeira pessoa no país a sofrer de castração química.

Isto acontece porque, há alguns meses, o governo aprovou uma nova lei sobre crimes de pedofilia.

O criminoso não identificado é da região do Turquestão e será quimicamente castrado através de uma injeção que será supervisionada pelo Ministério da Saúde.

O presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, financiou recentemente 2000 injeções contra criminosos acusados de crimes de pedofilia.

Quanto ao ministro da Saúde, Lyazzat Aktayeva, este último revelou: "Neste momento, houve apenas um pedido de castração química, e isso, em conexão com um pedido do tribunal."

Foi no início do ano que o governo do Cazaquistão adotou essa nova lei sobre pedofilia.

A lei permitiu o financiamento de 2000 injeções e, segundo o senador Byrganym Aitimova, trata-se de uma castração que é "temporária" e que serve apenas para impedir que o acusado cometa outros crimes.

Crimes contra crianças são punidos com até 20 anos de prisão.

Ao contrário das castrações que são realizadas cirurgicamente, a castração química não impede permanentemente que um indivíduo seja tentado a cometer agressão sexual novamente.

Muitas pessoas são muito céticas sobre a utilidade dessas castrações e perguntam se é realmente necessário investir grandes somas de dinheiro público nessas injeções.

Entre 2010 e 2014, os relatos de crimes de pedofilia dobraram no Cazaquistão, chegando a 1000 casos registados por ano.

O produto utilizado para realizar a castração química é o Cyproterone. Este inclui um medicamento usado para combater certos tipos de cancro.

No Reino Unido, o governo anunciou que gostaria de facilitar o acesso à castração química para aqueles considerados culpados de crimes de pedofilia.

Segundo vários especialistas e políticos, a castração química é vista como uma alternativa mais eficaz aos métodos de reabilitação.

Este método garante que a pessoa que passou por castração química não mais sinta desejo sexual e os números até agora mostram que esses indivíduos são muito menos propensos a cometer outras agressões.

Finalmente, de acordo com vários especialistas em justiça no Reino Unido, cada vez mais criminosos pedófilos estão a exigir a castração química, preferindo este método, de longe, às terapias de reabilitação.

Partilhar no Facebook
11,421 11.4k Partilhas

Fonte: ayoye · Crédito foto: ayoye