Um orangotango fêmea usada como escrava por pervertidos que pagam para dormir com ela.

Finalmente libertada desse horror.

Partilhar no Facebook
1,461 1.5k Partilhas

Uma rede de tráfico de escravos sexuais indonésios que forçava um orangotango fêmea à prostituição foi alvo de um grupo de direitos dos animais que conseguiu libertar o pobre animal do pesadelo em que estava preso.

A fêmea orangotango chamada Pony foi descoberta em fevereiro de 2003 num bordel em Kareng Pangi, ela estava acorrentada a uma parede, e condenada a deitar-se num colchão.

O animal tinha que satisfazer os impulsos dos agricultores locais especializados na exploração de óleo de palma, que pagavam uma quantia de cerca de dois dólares para fazer sexo com ela.

De acordo com relatos da organização que a salvou, Pony foi retirada da sua mãe no nascimento e até que foi liberada, ela foi sempre submetida à violência. Ela rapada a cada dois dias e era foi forçada a usar maquilhagem e perfume.

Os seus donos tinham até mesmo ensinado o animal a praticar atos sexuais a pedido dos seus "clientes".

Lons Droscher-Nielson, que fazia parte da equipe de resgate que interveio em 2003, disse ao The Sun: "Quando eu descobri que ela era uma prostituta e mais do que apenas um animal de estimação. Eu senti horror, talvez seja ingénuo, mas nunca poderia imaginar que um animal pudesse ser tratado assim. "

Quanto a Michelle Desilets, diretor da Borneo Orangutan Survival Foundation, a organização por trás do resgate, ele disse em entrevista à Vice: "Os trabalhadores faziam um desvio especialmente para a ir ver. Eles podiam escolher um ser humano se quisessem, mas era uma novidade para muitos homens fazer sexo com um orangotango fêmea".

Segundo Desilets, o resgate foi arriscado, porque na primeira tentativa da organização, os donos ameaçaram-nos com facões.

Desilets continua: "Ela foi usada como escrava sexual, ela provavelmente tinha 6 ou 7 anos quando a salvamos e ela foi mantida em cativeiro por uma dama pouco antes de ser vendida a esses traficantes".

A polícia local teve que intervir para libertar Pony e, assim, 35 agentes armados com AK-47 participaram na intervenção para "convencer" os donos a libertar o pobre orangotango.

Lone Droscher-Nielsen explica: "Ela recuperou lentamente do pesadelo, os homens que cuidam de Pony tiveram que ser introduzidos muito gradualmente de modo a que ela confiasse neles. Ela perdeu o medo depois de algum tempo e até parecia estar muito feliz com eles, depois ela foi transferida para um abrigo numa ilha onde pôde viver sem medo de ninguém ".

Já se passaram 15 anos desde que Pony foi libertada dos seus algozes e hoje ela está muito bem no Centro de Reabilitação Nyaru Menteng, onde mora com outros 7 macacos da sua própria espécie.

Os funcionários que trabalham com ela todos os dias dizem que admiram a sua coragem e determinação. Depois de tudo o que ela viveu, podemos dizer que ela é uma verdadeira sobrevivente!

Partilhar no Facebook
1,461 1.5k Partilhas

Fonte: ayoye · Crédito foto: ayoye