Notícias : Um médico é suspeito de ter abusado e violado pelo menos 50 crianças.
Que acha? Deixe o seu comentário aqui.  

Um médico é suspeito de ter abusado e violado pelo menos 50 crianças.

Todos os detalhes no interior...

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
44 44 Partilhas

A Suécia está a enfrentar uma história de horror, já que o promotor público de Estocolmo acaba de anunciar que julgará um médico espanhol suspeito de ter abusado e violado dezenas de crianças.

A história dá arrepios na espinha quando descobrimos que o médico abusou e violou 52 crianças ao todo. Elas estavam entre as idades de 2 e 12 no momento em que os crimes ocorreram e o médico estava de plantão quando fez essas coisas.

Mas os problemas não param por aí para o médico que tem 29 anos, porque ele também é suspeito de ter abusado de 18 adultos. Além disso, a promotoria pretende acusar o homem de posse de pornografia infantil.

O gabinete do promotor em Estocolmo também anunciou que manteve a classificação de violação com circunstâncias agravantes para quatro pacientes menores. Para este fim, a promotoria afirma que deve levar em conta a autoridade implícita pelos deveres do médico, mas também a muito jovem idade das suas vítimas.

O homem foi detido desde dezembro e, caso seja condenado, ele deve enfrentar 14 anos de prisão.

Segundo relatos da mídia local, as alegações contra o médico ocorreram entre 2015 e 2017.

O médico supostamente fez gestos nojentos em vários centros médicos no país escandinavo, mas de acordo com a acusação obtida pela AFP, o homem também aproveitou a sua participação num serviço de consulta na Internet para abusar das suas vítimas.

Por exemplo, o médico ousou ir tão longe a ponto de pedir aos seus pacientes que o consultavam on-line que se despissem para "examiná-los" e assim o homem aproveitou a oportunidade para filmá-los.

O médico teria usado um esquema igualmente revoltante em relação aos seus jovens pacientes que iam vê-lo no consultório. De fato, mesmo para doenças muito pequenas, o médico pedia aos seus jovens pacientes que se despissem para "examinar-lhes" os genitais. Para aumentar o horror, o médico manipulou os pais para que eles concordassem que ele examinasse os genitais aos seus filhos, tirando assim vantagem da sua autoridade como médico.

Fredric Wikman, um advogado que defende várias vítimas nesta história, disse à TT: "Esta quebra de confiança que os médicos geralmente desfrutam e o uso de novas tecnologias para cometer abuso sexual é única e perturbadora".

O julgamento do médico está marcado para começar no dia 20 de setembro.

Partilhar no Facebook
44 44 Partilhas

Fonte: BFMTV
Crêdito foto: Courtoisie

Goste/partilhe