Um homem que parecia uma múmia é resgatado do covil de um urso onde esteve durante um mês.

Fotos chocantes.

Partilhar no Facebook
822 822 Partilhas

Um homem que parecia estar morto foi libertado da toca de um urso onde ficou preso durante um mês depois do animal lhe ter partido a espinha e o guardou para comer mais tarde.

O homem de origem russa, cujo primeiro nome conhecemos, Alexandre, foi resgatado por cães de caça que o encontraram na região de Tuva, perto da fronteira com a Mongólia. 

Os caçadores entraram no covil e pensaram ter descoberto primeiro um corpo mumificado e, para sua surpresa, perceberam que o homem ainda estava vivo.

Como o homem não se conseguia mexer, a poeira e o sangue acumularam-se no seu corpo para formar uma espécie de filme seco que lhe dava a aparência de uma múmia. 

Os médicos rapidamente intervieram para salvar o homem, e então ele conseguiu dizer muito fracamente que o seu nome era Alexander. 

Segundo os médicos, o homem pode mexer os braços, mas mal consegue abrir os olhos e falar, ele está completamente exausto.

A mídia local não disse exatamente quando Alexandre foi encontrado, mas foi confirmado que ele ficou preso dentro da cova durante pelo menos um mês. 

Os ursos geralmente têm o hábito de caçar as presas e mantê-las vivas dentro do covil, a fim de ter "reservas alimentares". Tudo indica que Alexandre era apenas parte de um dos futuros cardápios do animal. 

Alexander explicou que ele passou todo esse tempo a hidratar-se com a sua própria urina enquanto vivia constantemente com medo de que o urso voltasse para comê-lo vivo. 

Finalmente, de acordo com os médicos que tratam de Alexandre, é quase um milagre que o homem ainda esteja vivo depois deste incidente.

Partilhar no Facebook
822 822 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye