Um canibal acusado de fritar o cérebro da sua namorada, antes de o comer

Todos os detalhes no artigo...

Partilhar no Facebook
349 349 Partilhas

Um russo de 21 anos é acusado de ter morto a sua namorada de 45 anos, antes de a ter cortado em pedaços. Mas isso nem é o pior. Ele disse aos polícias que lhe bateu até morrer com uma garrafa de vinho.

Segundo testemunhas, ele terá também aberto o crânio da sua namorada, retirado um pedaço do cérebro, que em seguida fritou e comeu.

Dmitry Luchin era conhecido como um poeta com um QI acima da médica, segundo colegas.

Foi aquando do Dia Internacional da Mulher, no último dia 8 de março, que Luchin atacou a sua namorada, Olga. Agora é acusado de homicídio e de canibalismo.

Ele partiu a cabeça da namorada com uma garrafa de vinho, ao lhe bater cerca de 25 vezes – depois, esfaqueou-a com a garrafa no tórax 4 vezes.

Segundo testemunhas, ele passou o dia a fumar e a beber antes de a atacar. Luchin confessou os seus crimes e o seu processo deverá avançar no ano seguinte.

Segundo transcritos das conversações que ele teve com a polícia, ele chegou mesmo a afirmar: “Adorei o sabor do seu cérebro. Decidi comer outro pedaço. Depois, verti o seu sangue para um copo. Bebi-o para acompanhar a minha refeição”.

O inquérito permitiu concluir que Luchin seguia uma página chamada “Maníacos do mundo e assassinos em série”.

Partilhar no Facebook
349 349 Partilhas

Fonte: grandstitres · Crédito foto: grandstitres