Rapaz autista leva microfone escondido para a escolha – 1 dia depois, dois professores são despedidos

As gravações puseram-me o sangue a ferver.

Partilhar no Facebook
352 352 Partilhas

Rapaz autista leva microfone escondido para a escolha – 1 dia depois, dois professores são despedidos

Quando o comportamento de Cameron Davis, de 12 anos, mudou drasticamente e repentinamente, a sua mãe Milissa Davis suspeitou de algo.

Sem certezas, deixou o filho na escola, em Baton Rouge, Louisiana, com um microfone escondido.

Ela não estava preparada para a revelação quando ouviu a gravação. 

Quando Camden Davis começou a urinar na cama, e tornou-se mais agressivo em casa, a sua mãe, Milissa, ficou preocupada. Ela suspeitava que Camden, que sofre de autismo, estava a ser maltratado na escola. O único problema, é que o rapaz não se conseguia expressar.

Quando Milissa foi até à escola de Camden, não a ajudaram, por isso decidiu criar o seu próprio plano. Certo dia, ela teve uma excelente ideia.

Ela escondeu um microfone na mochila de Camden, para que conseguisse ouvir aquilo que se passava. As respostas que obteve chocaram-na. 

Nas gravações, Milissa conseguiu ouvir o seu filho a ser gozado e assediado por dois professores.

“Estás a escrever uma palavra. Qual é a dificuldade?”, disse um dos professores, na gravação partilhada pelo WBRZ Channel 2. Na mesma gravação conseguimos ouvir um professor a imitar Camden, enquanto tenta responder.

Noutra gravação, dois professores dizem que ele nunca se safaria “por um minuto” numa escola pública. 

Quando Milissa ouviu a gravação, não conseguiu acreditar.

“Queria chorar, gritar e fazer de tudo, pois foi horrível”, disse Davis ao WBRZ Channel 2. “Saber que o meu filho enfrentava aquilo todos os dias era horrível, mas nunca descobri o que disseram antes.”

A mãe publicou as suas descobertas nas redes sociais, onde se espalharam rapidamente. Pouco depois, as gravações foram encontradas pelas companhias de televisão. Tudo culminou com dois professores a perderem o seu emprego. De acordo com o WBRZ Channel 2, a escola pediu desculpa, ao rapaz e à sua família. 

Milissa inscreveu Camden numa escola diferente, e diz que ele se está a sentir melhor, apesar de se sentir mal com o passado.

Ela também agradeceu o apoio que recebeu de todas as pessoas.

“Obrigado Baton Rouge por tudo o que fizeram”, disse Davis. “As pessoas sabem que estas crianças têm de ser protegidas, e estava a proteger o meu filho de algo que estava errado.

Pode ver a reportagem – e ouvir todas as gravações – abaixo: 

Que história triste. Um professor tem de apoiar e ajudar todos os seus alunos. A ideia de gozarem com alguém põe-me mal disposto, imagine-se com uma criança vulnerável.

Partilhe esta história se quer que o bullying acabe.

Partilhar no Facebook
352 352 Partilhas

Fonte: Newsner · Crédito foto: Newsner