Protetora resgata elefantes torturados!

Assista ao vídeo encantador!

Partilhar no Facebook
844 844 Partilhas

Por muitos séculos, elefantes nos países no sudeste da Ásia, como a Tailândia, foram forçados a passar por um ritual terrível conhecido como "Phajaan". Filhotes eram separados das mães e mantidos em jaulas de madeira com os membros amarrados por cerca de uma semana. 

Os pequenos elefantes são torturados das formas mais terríveis com ferramentas, como ganchos e barras de metal, para machucar mesmo. Fora a precariedade de comida ou bebida eles são mantidos acordados com jatos de água e formas terríveis de tratamento. 

O objetivo: domá-los para o mercado turístico ou usá-los ilegalmente na indústria madeireira.  

A ativista tailandesa SangduenChailert, conhecida como Lek, quis colocar um fim nessa vida cruel dos elefantes.  : "Eu vi um elefante ferido que era forçado a trabalhar. Ele começou a gemer. Eu perguntei ao dono se o elefante poderia descansar, mas ele disse que eles não tinham tempo. Eles param de trabalhar quando morrerem. Quando os homens bateram nele para que ele voltasse a trabalhar, eu vi o quão bravo e triste ele estava. Ele gemeu. Foi algo inesquecível." 

Durante sua vida as imagens e o sofrimento dos elefantes voltavam em sua mente eLek decidiu fundar um parque para os elefantes. Ela teve a ajuda da organização Green Tours e o parque abriu as portas em 1996. 

O ElephantNature Park resgata, cuida, trata e oferece um ambiente tão natural quanto possível para os amados elefantes. O Park fica localizado no norte da Tailândiae coloca o bem-estar dos animais em primeiro lugar. O dinheiro dos turistas é usado para a sua manutenção.  

Mas lá também pode-se ver o resultado de anos de abuso. "85% dos elefantes chegam ao santuário com problemas mentais. Alguns deles apenas ficam olhando para o nada, como zumbis. Eles estão traumatizados pelo trabalho, incapacitados, machucados, cegos e aleijados, mas o pior é o dano psicológico. Muitos deles ficam completamente imóveis. Alguns apenas andam em círculos. Eles gemem e correm quando veem outros elefantes", conta Lek.  

Para tentar ajudar nesse processo, Lek coloca música e conversa bastante com eles, tentando criar um laço de amor. 

Um dos apoiadores do park, HenrikEnevoldsen, fica realmente comovido com as atitudes de Lek: "Quando ela fala com os elefantes, eles não a deixam ir embora. Eles querem estar sempre perto dela. Muitas vezes, nós não podemos ir ao campo com Lek, porque todos os elefantes vão até ela." 

O vídeo a seguir mostra a rotina diária de Lek no Park:  

Esperamos que Lek viva muitos anos realizando esse trabalho e que ele seja perpetuado.  

Partilhar no Facebook
844 844 Partilhas

Fonte: Não acredito · Crédito foto: Não acredito