Policia despedido por atirar criança ao chão

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Um xerife adjunto na Carolina do Norte foi demitido após a publicação de imagens de segurança dele a bater numa criança duas vezes quando era oficial de recursos da escola.

De acordo com o gabinete do xerife e funcionários da escola, o incidente ocorreu na quinta-feira, 12 de dezembro, na Vance County School, em Henderson.

O nome do xerife adjunto não foi identificado, mas foi designado para a escola como oficial de recursos estudantis na época.

O vídeo mostra o policia e a criança a caminhar lado a lado num corredor da escola; em seguida, o polícia agarra abruptamente a criança pelo pescoço, levanta-a no ar e depois atira-a ao chão.

O adjunto fica de pé sobre a criança durante cerca de um segundo, depois a levanta novamente, vira-se e atira-a ao chão mais uma vez.

O vídeo termina com o policia a arrastar a criança.

Curtis Brame, xerife do condado de Vance, disse à CBS17: "Ficamos chocados. Não espero do meu assistente, nem qualquer apolícia na Carolina do Norte, que desempenhe as suas funções dessa maneira ".

Brame disse à emissora local WTVD que o agente foi demitido na segunda-feira.

Este último foi colocado em licença remunerada enquanto o Departamento de Inquérito do Estado (SBI) investigava o caso e depois trabalhou durante dois anos antes de ser demitido do departamento do xerife.

O advogado do conselho escolar do Condado de Vance, Mike Waters, disse à CBS17 que revisará as descobertas do SBI assim que a investigação for concluída: "Temos que ver como essa situação foi tratada nos momentos em que seguiram, e estou confortável com o modo como isso foi feito ". Em outra entrevista que ele deu ao New York Times, Waters disse: "Como pai que assistiu ao vídeo, é muito perturbador".

Aarika Sandlin, porta-voz das escolas do condado de Vance, disse à CBS e ao The Times: "Estamos profundamente preocupados com as ações que ocorreram. Oficiais de escolas e distritos estão a trabalhar em estreita colaboração com as autoridades locais para resolver este problema de acordo com a política do conselho escolar e as leis estaduais ".

As autoridades não identificaram a criança, mas sabe-se que ela tinha menos de 12 anos e que havia consultado um médico.

A família do menino disse à CBS17 que ele ficou bem após o incidente.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye