Pais pedófilos que violaram a filha de 2 anos são condenados a prisão perpétua.

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Um casal foi condenado a prisão perpétua depois que os dois pais serem considerados culpados de violar a filha e admitirem ter fantasiado sobre o abuso do feto ainda por nascer.

Gerrad Coddington, 25, e Christina Nelson-Coddington, 29, foram condenadas por 29 crimes sexuais envolvendo a filha de dois anos que foi algemada, espancada e agredida sexualmente.

Os crimes pelos quais foram condenados incluíam violação, abuso infantil, incesto e produção de imagens de abuso sexual de crianças.

Para aumentar o horror, o tribunal concluiu que os pedófilos de Oklahoma, EUA, "sonhavam em cometer incesto com o seu bebé ainda não nascido".

O procurador-geral Mike Hunter disse que nunca havia visto um crime tão horrível durante a sua carreira.

Hunter disse: "Esses dois indivíduos cometeram atos horríveis de abuso e violência com crianças inocentes, e as ações desses dois indivíduos contra as crianças que foram submetidas a esses atos horríveis são imperdoáveis. São pessoas más que representam um perigo para a sociedade, saúdo a decisão do juiz Edwards de responsabilizá-los em toda a extensão da lei e aplaudo os investigadores do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas. investigador do meu escritório com a Força-Tarefa de Crimes Contra Crianças na Internet e os advogados que trabalharam nesse caso para obter um resultado positivo ".

Foi depois que a polícia foi informada de que um usuário com o endereço IP de Coddington estava a enviar material sexualmente explícito de crianças através da plataforma Messenger que ambos os pais começaram a ser investigados pelos investigadores.

Eles então descobriram mais de 6.000 páginas de "comunicações incriminadoras" entre o casal.

Por fim, as autoridades declararam que os dois pais nunca vão ter o direito de solicitar liberdade condicional.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye