Pai pedófilo que abusava da sua filha quatro vezes por dia, engravidou-a duas vezes.

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Uma adolescente cujo pai pedófilo, a abusou quatro vezes por dia e fugiu com ela, revelou o trauma que sofreu durante a infância.

A corajosa Shannon Clifton, agora com 18 anos, renunciou ao seu anonimato para revelar os graves abusos a que foi submetida nas mãos do seu pai.

O predador Shane Ray Clifton primeiro abusou a sua filha quando ela tinha apenas seis anos, relata o Mirror. E quando Shannon tinha 11 anos, ele engravidou-a, mas espancou-a inconsciente e ela perdeu o bebé.

Quando Shannon completou 13 anos, ela descobriu que estava grávida de novo, mas Clifton procurou por maneiras caseiras para fazer o aborto e forçou-a a fazer exercícios perigosos. 

Aos nove meses de gravidez, uma enfermeira suspeita na escola pediu a Shannon que fizesse um teste – mas ela recusou.

Com medo de que os seus crimes doentios fossem expostos, Clifton fugiu com a sua filha, o que desencadeou as buscas pelo casal que durou 6 dias. Dois dias depois de serem encontrados, Shannon deu à luz um menino – que era tanto seu filho como seu irmão. ;

Clifton, de 36 anos, recebeu uma sentença mínima de 15 anos por abusos à sua filha. O caso fez manchetes depois da Shannon ter gritado: “Eu amo-te pai, eu sinto a tua falta.” 

Nem Clifton nem Shannon puderam ser nomeados durante o julgamento. Três anos depois, Shannon optou por falar sobre o abuso na esperança de ajudar outras pessoas como ela.

Ela revelou ao jornal: ‘Ele roubou a minha vida. Ele transformou isso num pesadelo do qual eu não pude acordar – abusando-me batendo-me por anos. Eu estava com medo e com dores todos os dias.

Shannon diz que “odeia seu pai”, mas ainda sente falta dele porque ele era o membro da família que ela teve durante a infância.

Clifton assumiu a custódia de Shannon, a quem ele chamou de “princesinha” aos cinco anos de idade, depois dele se separar da sua mãe. Mas as coisas mudaram rapidamente, e o homem violento começou a agredi-la fisicamente. 

Clifton convenceu a sua filha de que os abusos regulares era algo que todos os pais faziam com as suas filhas.

Mas Shannon ainda amava seu pai como ele era “tudo o que ela tinha”.

Quando Shannon deu à luz o seu filho, ela disse que o “amava instantaneamente”, mas achou “confuso” que ele também fosse seu irmão.

Um ano após o seu nascimento, ela tomou a difícil decisão de colocá-lo para adoção enquanto ela estava a viver em com uma associação.

Shannon agora sofre de TEPT (Transtorno do estresse pós-traumático) e tentou pôr termo à sua vida com 16 anos. Mas com a ajuda da sua família adotiva, ela está a conseguir reconstruir a sua vida. 

Ela acrescentou: “Nunca saberei exatamente por que meu pai fez o que ele fez, mas o meu objetivo é ajudar outras vítimas de abuso ao lerem a minha história – para que possam encontrar a ajuda de que precisam”.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye