Mulheres são acusadas de crueldade animal por serrarem as duas patas traseiras de um cão paralisado.

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Uma mulher de 50 anos e duas jovens de 17 foram acusadas de crueldade animal por serrarem as patas traseiras de um cão dachshund chamado Buddy, que estava a sofrer de paralisia.

A polícia disse que prendeu uma mulher de 50 anos, a sua filha de 17 anos e uma amiga da filha num parque de caravans, em Slidell, Louisiana.

A polícia local foi informada da condição perturbadora do cão Buddy depois de ele ser encontrado no parque de caravanas e levado para uma clínica veterinária.

Quando o veterinário constatou a condição desastrosa do dachshund, ele imediatamente contatou as autoridades para denunciar este caso muito chocante de crueldade contra animais.

As autoridades explicaram mais tarde que em fevereiro passado, a mulher de 50 anos e a filha de 17 anos, dona de Buddy, relataram à polícia que o cão havia sido baleado.

As duas mulheres foram então negligentes por não terem levado o cão a ser tratado por um veterinário, o que significou  que o amiguinho ficou paralisado das patas traseiras.

Como o cão tinha que gatinhar arrastando as patas traseiras, elas acabaram por infectar.

Segundo um veterinário que examinou Buddy, as infecções que se desenvolveram nas pernas tornaram-se "particularmente maliciosas".

Ainda não está claro em que momento as pernas do cão foram amputadas, mas o veterinário indica que não há dúvida de que essa tarefa não foi realizada por um profissional e parece que as pernas foram serradas.

A polícia explicou que eles também conduziriam uma investigação para determinar as circunstâncias exatas que levaram o cão a ser baleado.

E terminando aqui está um vídeo trágico da situação:

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye