Menino de 3 anos de idade corre para a mãe a sangrar - quando ela percebe porquê, mal pode acreditar nos seus olhos

Jacob quase perdeu os dedos dos pés depois de brincar na praia, agora a mãe avisa deste perigo escondido na areia.

Partilhar no Facebook
1,464 1.5k Partilhas

Menino de 3 anos de idade corre para a mãe a sangrar - quando ela percebe porquê, mal pode acreditar nos seus olhos

Há muitos perigos óbvios na praia que preocupam os pais, e você faz sempre o seu melhor para manter os seus filhos seguros e protegidos.

Você é chata com o protetor solar, com roupas de banho e coletes salva-vidas, certifica-se de que leva muita água e lembra-se sempre do seu guarda-sol.

Mas mesmo com todo o planejamento no mundo, você não se prepara para todos os cenários possíveis. Então, que faria se o seu dia na praia fosse de repente interrompido pelo seu filho, gritando na sua direção, com sangue em todos os lugares?

Foi exatamente o que aconteceu a Katja Kafling quando ela estava a brincar na praia com os seus filhos.

Que é a razão pelo qual o filho dela acabou com feridas sangrentas nos pés?

Um perigo escondido debaixo da areia que é tão chocante que Katja agora quer advertir os outros. 

Começou como qualquer outra ida à praia, perto de Roskilde na Dinamarca. O filho de Katja, Jacob, de 3 anos, estava a brincar feliz na areia e a sua mãe estava a disfrutar do sol.

Mas segundos depois, ela viu-se a caminho das urgências em pânico. Os pés do menino estavam queimados tão gravemente que a sua pele tinha caído.

O motivo? Algo que nem ela nem ninguém poderia ter previsto. 

Escondidos debaixo da superfície arenosa ainda brilhavam pedaços de carvão e de madeira, provavelmente de uma fogueira acesa durante a noite anterior na praia.

O pequeno Jacob tinha caminhado diretamente sobre eles, que não tinham sido devidamente extintos. Muitas pessoas usam apenas areia para esfriar ou apagar as fogueiras.

Mas, de acordo com a Doutora Marianne Cinat, do Regional Burn Center da UCI, isso tem o efeito oposto. "A areia guarda o calor, tornando as brasas ardentes ainda mais quentes", diz ela. 

As queimaduras do jovem Jacob foram tão extensas que os médicos na Dinamarca consideraram amputar os dedos dos pés.

Mas, felizmente, os experientes cirurgiões conseguiram transplantar a pele de outras partes do corpo para reparar os pés.

Após quase um ano de visitas hospitalares, terríveis dores físicas e reabilitação, Jacob de 7 anos é agora um menino feliz e próspero. Mas os seus pés foram deixados com cicatrizes permanentes. 

A família sabe que a pessoa que deixou a pessoa que deixou os restos da fogueira assim não o fez com o propósito de causar danos. É mais provável que essa pessoa não tenha conhecimento desse perigo oculto.

É por isso que é importante partilhar a história de Jacob para alertar os outros.

Da próxima vez que você estiver na praia e vir alguém enterrar os restos da fogueira deles com areia, peça às pessoas que usem água em vez disso.

Com educação e consciencialização, todos podemos fazer a nossa parte para aumentar a segurança de toda a gente.

Jacob teve a sorte de evitar que os seus pés fossem amputados, mas outros talvez não tenham a mesma sorte. Não vamos deixar isso acontecer a mais crianças - ajude-nos a partilhar isto no Facebook!

Partilhar no Facebook
1,464 1.5k Partilhas

Fonte: Newsner · Crédito foto: Newsner