Matthew: a história do menino que parece ser um recém-nascido

Todos os detalhes no interior ...

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Hoje queremos contar a história do pequeno Matthew Riddle, que é um campeão.

Quando ele nasceu na Califórnia, Estados Unidos, ele era tão pequeno e prematuro que ninguém dava nada por ele. Dias e semanas passaram e este pequeno recusava-se a crescer, mas não a morrer. Hoje ele tem 8 meses e sorri para a vida com toda a sua força e esperança.

Ele tem um rosto que ofusca, e a sua pequena figura desperta muita ternura, mas também um pouco de preocupação, o que não é de admirar, porque a história deste pequeno é muito especial. Os seus pais não vão parar de lutar por um único dia por ele.

Esta pequena maravilha, decidiu ir em frente contra todas as probabilidades. E queremos, com a sua história, criar consciência sobre as doenças raras, as doenças silenciosas que afetam milhões de crianças em todo o mundo e sobre as quais quase nunca se fala.

Matthew era mais que um filho prematuro.

Matthew Riddle veio a este mundo cedo demais. Ela tinha apenas 28 semanas quando, numa incubadora, os médicos perceberam que esse corpinho delicado e frágil de apenas 500 gramas não respondia normalmente.

A mãe, Genevieve, também sentiu que algo não estava bem. Eles não eram novos pais, e o seu outro filho, Aran, embora também fosse prematuro, não demorou a chegar aos dois quilos. Porque se tudo correr bem, os bebés nascidos antes do prazo respondem bem e crescem normalmente. No entanto, para Matthew não foi assim, havia algo diferente nele.

Os médicos alertaram os pais preocupados de que se deveriam preparar para o pior. No entanto ... como se prepara alguém para perder um filho? Como podel eles perder a esperança? Eles recusaram-se a parar de ter fé.

Matthew tem uma doença rara. 

Genevieve e o seu marido logo receberam um novo diagnóstico dos médicos de Matthew: o pequeno não morreria, simplesmente, a razão pela qual ele não crescia era devida a uma doença muito específica e incomum: o nanismo microcefálico primal osteodisplástico do tipo II.

É uma doença genética que geralmente se desenvolve na fase intra-uterina.

Ao nascer, os bebés prematuros, pesam pouco menos de 1500 gramas. Matthew pesava apenas 500 gramas, e é por isso que os médicos não esperavam que ele sobrevivesse.

No entanto, contra todas as probabilidades, este corajoso pequeno foi em frente para a felicidade dos seus pais.

Matthew já tem 8 meses e ainda parece ser um recém-nascido. Pesa apenas 1.500 gramas e cresce muito pouco. Este tipo de nanismo faz com que nunca chegue a atingir 1 metro de altura nem mesmo na idade adulta.

Genevieve veste o  filho com roupa de bonecos e bichinhos de pelúcia, dado o seu tamanho pequeno. A melhor é que não estão sozinhos, têm ajuda. Por exemplo, nos últimos meses, uma marca de brinquedos até já está forneceu roupas exclusivas para ele. Algo que sem dúvida a família agradece muito devido a todas as dificuldades que estão a passar com o pequeno. 

O maior problema de Matthew é que ele deve passar por várias intervenções. Ele já passou por duas operações para que o seu lento crescimento não bloqueie o funcionamento de duas das suas artérias no cérebro e, apesar da sua tenra idade, em breve deve submeter-se a uma cirurgia novamente para evitar aneurismas e facilitar o desenvolvimento adequado do cérebro. As despesas médicas são grandes e os pais não estão preparados para tais desembolsos económicos. É por isso que eles visitam vários programas de televisão há várias semanas em busca de ajuda. Eles já levantaram cerca de US $ 3.000, embora ainda precisem de mais US $ 7.000.

As doenças raras são uma tarefa pendente na nossa sociedade. 

As graves dificuldades que todos estes bravos pais e mães devem suportar, cujos filhos são afetados por doenças raras, são evidentes.

Só pedem dignidade e igualdade de oportunidades para crescer, para se tornarem parte de um mundo onde tudo se encaixa, onde todos merecem ser felizes dentro das possibilidades.

Crianças como o Matthew sempre serão frágeis. Matthew não vai crescer, ele vai precisar de ajuda para se alimentar e se mover através do seu ambiente cotidiano durante toda a vida. No entanto, com a ajuda médica adequada pode andar, falar e ir à escola como qualquer menino da sua idade, embora muito menor.

Muitos que sofrem de nanismo primordial também têm retardo mental, mas isso nem sempre é o caso. Há também muitos casos em que com esta doença desfrutam dos seus estudoss e vão adiante. A única coisa que os pais de Matthew querem é que a vida do filho seja a de um menino feliz. Que  possa passar por estas intervenções e siguir em frente com sua família o tempo todo porque pode o amam e ele responde com sorrisos e um olhar que mostra que não quer perder nada.

Desejamos com todo nosso coração que seja assim. Partilhe esta bela história com seus entes queridos.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Entérate de algo · Crédito foto: Entérate de algo