Jovem com paralisia cerebral usado como “ponte humana” pelos colegas

“Esta é uma das coisas mais repugnantes que já vi”

Partilhar no Facebook
489 489 Partilhas

No início, Brett Corbett, de 14 anos, disse à sua mãe que ele foi mandado para o escritório do diretor, encharcado porque as crianças o desafiaram a nadar no riacho atrás da escola, em Halifax, Nova Escócia.

Mas então os vídeos surgiram e, com eles, uma história terrível de bullying.

No vídeo exibido neste artigo, Corbett, um aluno do ensino secundário com paralisia cerebral, é visto em pé no meio da água rasa e turva, enquanto cerca de 20 crianças olham para ele do alto de uma pequena colina. Ele deita-se de barriga para baixo, mantendo as palmas das mãos na lama para se equilibrar enquanto a corrente passa por ele.

Momentos depois, uma rapariga salta do alto, pisa as costas de Corbett como se fosse um trampolim e lança-se para o outro lado, usando Corbett como uma ponte humana.

Em outro vídeo, os adolescentes riem-se histericamente. Eles gritam com Corbett para ele voltar à água depois de ele se levantar. Ele não quer.

A mãe de Corbett, Terri McEachern, disse que três estudantes caminharam sobre o seu filho.

Ela não dormiu bem desde que isto aconteceu na quarta-feira passada. O vídeo espalhou-se pelo Canadá e por grande parte do mundo, causando choque e manifestações contra o bullying. Um lutador de boxe local organizou uma manifestação “Stand for Brett Corbett” nos arredores da Glace Bay High School, em Halifax, Nova Escócia, para “mostrar a Brett que ele nunca está sozinho”. Numerosas mensagens de apoio apareceram.

Mas o que mais impressionou McEachern, disse ela ao The Washington Post, é a capacidade de perdão do seu filho. Ele não contou a verdade sobre o que lhe aconteceu no início porque ele disse que não queria que os outros estudantes se metessem em problemas, ela disse. Quando ela lhe perguntou se ele tinha sido pisado depois de ter visto os vídeos, ele disse-lhe: "Não faz mal, eu já estava molhado".

"Isto parte-me o coração. Esta é a sua mentalidade ”, disse ela. “Crianças com deficiências têm as personalidades mais incríveis do mundo. Eles não veem maldade em ninguém. Eles vêem o bem em todos. ”

McEachern não descobriu o que realmente aconteceu a Corbett até que um amigo da família,Brandon Jolie, viu um dos vídeos a circular no Snapchat e no Instagram. Jolie filmou o seu próprio vídeo do vídeo e o partilhou com o filho mais velho de McEachern no Facebook.

"Nunca na minha vida eu fiquei tão enojado", escreveu Jolie. “Toda a gente que conhece esse menino sabe que ele tem uma deficiência. Quão difícil é mostrar alguma compaixão?"

As respostas ao post de Jolie não tardaram: “Que insulto para este jovem. Uma falta total de respeito por pessoas com deficiência ”, disse um deles.

"Eles deveriam ter vergonha de si mesmos", disse outro.

"Esta é uma das coisas mais repugnantes que já vi", disse outra mulher.

McEachern disse que alguns dos estudantes envolvidos foram suspensos por um único dia - uma resposta que ela achou terrivelmente inadequada.

Ela não foi a única. Cerca de 20 estudantes saíram das aulas na sexta-feira para protestar contra o que descreveram como o fracasso da escola em tomar uma posição mais firme, relatou o Cape Breton Post.

"Honestamente, é doentio", disse um rapazde 17 anos ao jornal. "É um pouco perturbador não ver nada feito sobre isso."

Desde que o vídeo se tornou viral, alguns dos alunos vistos pediram desculpas. O pai de um desculpou-se em nome do filho numa reunião pública e leu uma carta em que o menino descreveu as suas ações como "a pior decisão da minha vida".

Partilhar no Facebook
489 489 Partilhas

Fonte: washington post · Crédito foto: washington post