Idosa abandonada há 50 anos em hospital é adotada por ex funcionária após fechamento da unidade

Jovem adota idosa sem família, e que vivia num hospital há mais de 50 anos

Partilhar no Facebook
2,296 2.3k Partilhas

 A Glaucia Gomes com apenas 29 anos deu uma lição de humanidade e generosidade para todos nós. Ela conheceu a idosa, que todos chamam de Cotinha, depois que a Unidade do Hospital Beneficiência Portuguesa, em São Paulo, onde a idosa morava, fechou as portas.

O caso sensibilizou o país e foi noticiado no G1.

Cotinha morava no hospital desde que sofreu um acidente, em Araraquara, São Paulo, por não ter família e ninguém ter ido busca-la, ela acabou ficando por lá, e Glaucia a conheceu quando começou a trabalhar no hospital.

Mas infelizmente, a história que já era triste para a idosa ficaria ainda mais triste, a unidade fechou as portas há dois anos e ela foi transferida para um abrigo. Glaucia ficou desempregada, mas não parava de pensar na situação de Cotinha.

Foi então que ela resolveu fazer o que muita gente da família não faria, ela adotou e cuidou dela em sua casa, como se fosse sua filha,

Para conseguir leva-la para casa, Glaucia assinou um termo de responsabilidade e hoje vivem bem em sua casa, as duas, a filha e o marido de Glaucia que apoiou a atitude da esposa.

“Qualquer pessoa com sentimento faria a mesma coisa, porque quem tem bom coração não a deixaria lá. Ela ficou abandonada no hospital, a polícia cumpriu ordem de busca e levou-a para o abrigo. A Cotinha ficou perdida, sem ninguém conhecido, a boneca dela não estava com ela. Quando fui visitá-la, falei que voltaria para a levar para casa. Eu não sei rezar, mas naquele dia rezei. Uma hora depois, ligaram para saber se eu queria ficar com ela…”, conta Glaucia ao Extra.

Ao juiz, que questionou a sua atitude, Glaucia respondeu: “Se eu abrir mão dela para um abrigo, quem vai falar por ela?”.

A história foi tão comentada que os donos de uma casa de repouso assim que souberam da notícia, entraram em contato com ela e ofereceram um emprego. “Deus mostrou-me o caminho”, reconheceu a paulista. O casal arranjou, então, o quarto de Cotinha e ficou grato pela nova oportunidade que lhe estava a ser dada.

“Acho que trato a Cotinha como qualquer outra pessoa tratava, nem melhor nem pior. Apenas não lhe virei as costas. Na altura em que o hospital fechou, as pessoas não quiseram cuidar dela. Eu não me esqueci dela, tentei fazer o que podia com ela. E vejo que ela é grata por isso. Quando ela viu o quarto dela, me abraçou e disse: ‘Tadinha’. Ela acha que ‘tadinha’ é amor. Quando lhe fui dar banho, abraçou-me, de novo, em forma de agradecimento”, contou ao extra.globo.com.

Ela é uma mulher guerreira que vive com pouco dinheiro e mesmo assim, sabe se doar para um outro ser humano, seu marido também tem um salário modesto e a família precisa de doações para se manter de vez e quando. Quem puder ajudar, entre em contato!

A história de Dona Cotinha.

Segundo contam as pessoas mais antigas do hospital, Cotinha tinha apenas 12 anos quando ela e o irmão, com 4, foram atingidos por um caminhão. Infelizmente, o irmão morreu e Cotinha teve uma séria lesão na perna. O acidente agravou um leve problema mental que ela já apresentava anteriormente e como ninguém da família a procurou, ela acabou desde então, vivendo na Unidade de Cuidados Intensivos. Ela não conseguia se comunicar, a não ser por gestos e sempre manteve reações infantis. Há dez anos ela teve uma melhora considerável na fala, mas a comunicação ainda é infantilizada.

“Ela me chama de ‘mãe’ e diz ‘papá’ quando vai comer. Mas isso já é um avanço, porque antes ela só fazia gestos...Eu a trato como uma filha. Não me dá um pingo de trabalho e até me avisa quando vai fazer arte…Toma banho sozinha e dorme. Deixo coisas feitas para ela comer. Mas por causa da perninha torta, tem dificuldade a andar, e isso com a idade pode ser um agravante. Mas ela é tão saudável! Não toma um único medicamento!”, relata Glaucia.

Uma jovem exemplar como essa precisa ser ajudada e conseguir o melhor da vida, quem oferece o seu melhor, merece o melhor! Vamos fazer a vida dessa jovem melhorar, ajudem com o que puder e torço para que ela seja muito feliz! 

Partilhar no Facebook
2,296 2.3k Partilhas

Fonte: HiperFM · Crédito foto: HiperFM