Homicidas confessam: Atiraram Portuguesa viva para o rio em Moçambique

Atiraram jovem viva com mãos e pés atados

Partilhar no Facebook
1,218 1.2k Partilhas

Inês Botas, de 28 anos natural de Leiria estava a residir na Beira em Moçambique onde trabalhava como diretora financeira da Ferpinta.

A jovem era cliente habitual do clube Náutico da Beira onde Izaias Nicolau trabalhava como preparador físico, o suspeito de ser o mentor do plano para raptar e assaltar Inês.

Izaias de 21 anos terá confessado na prisão que esteve envolvido no crime assim como Jonas Moiana e Danilo Lampeão, de 24 anos.

Danilo confessou que o plano foi feito por Izaias "Na quinta-feira à noite, ele deu sinal e nós fomos levá-la", ele já "tinha tudo planeado".
"A vítima praticava exercício físico no Clube Náutico e o Izaias sabia como ela fazia, a hora e o local", contou Danilo Lampeão que confessou ainda que a jovem deu boleia ao grupo de rapazes por conhecer Izaias.

Durante a boleia Inês foi ameaçada com uma réplica de uma pistola para lhe roubarem os cartões bancários, com os quais sacaram 29 mil novos meticais (cerca de 400 euros).

 "Ela estava comigo e estava viva quando a atirámos para o rio", contou Izaias. "O que pretendiam era o dinheiro dela, mas por ela ter reconhecido um deles e para que não fossem denunciados, optaram por a atirar ainda viva, atada de mãos e pés, ao rio Pungue", explicou um porta-voz da polícia.

Partilhar no Facebook
1,218 1.2k Partilhas

Fonte: www.cmjornal.pt · Crédito foto: www.cmjornal.pt