Notícias : Freiras desviam fundos de escola católica para ir jogar em Las Vegas
Que acha? Deixe o seu comentário aqui.  

Freiras desviam fundos de escola católica para ir jogar em Las Vegas

Pouca vergonha!

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
55 55 Partilhas

Duas freiras que trabalham há décadas numa escola católica na Califórnia apropriaram-se de uma quantia “substancial” de dinheiro das mensalidades e outros fundos e usaram-na para pagar viagens a Las Vegas, disseram autoridades da Igreja.

Acredita-se que as irmãs Mary Margaret Kreuper e Lana Chang tenham desviado dinheiro das mensalidades e doações da escola St. James, em Torrance, perto de Los Angeles, durante pelo menos uma década. Nenhuma das duas foi acusada de um crime.

Kreuper era a diretora da escola e Chang ensinava alunos do oitavo ano antes de o par se aposentar este ano.

Um porta-voz da arquidiocese de Los Angeles, Adrian Alarcon, disse que o suposto roubo foi descoberto durante uma auditoria, rotineiramente realizada após um diretor deixar o cargo.

O total roubado à escola ainda esta a ser calculado, disse Alarcón, acrescentando que não pode confirmar as reportagens de que foram US $ 500 mil.

Numa carta aos pais, o monsenhor Michael Meyers descreveu a quantia como substancial. "Este assunto chamou a nossa atenção durante as revisões financeiras em conexão com a mudança de liderança na nossa escola", disse ele, acrescentando que ninguém mais estava envolvido.

Numa reunião, é relatado que ele contou aos pais que, na mesma época da auditoria, uma família solicitou uma cópia de um cheque entregue à escola e a equipe percebeu que ele havia sido depositado numa conta bancária que não era da escola.

Meyers disse que ambas as freiras reconheceram o roubo quando confrontadas, pediram desculpas e estavam a cooperar com uma investigação. Ele disse que eles e asua ordem, as Irmãs de São José de Carondelet, haviam prometido devolver o dinheiro.

“A irmã Mary Margaret e a irmã Lana expressaram e pediram que eu transmitisse o profundo remorso que cada uma sente pelas suas ações e pedem perdão e orações”, disse Meyers na sua carta. “Elas e a sua ordem oram para que vocês não tenham perdido a confiança ou fé nos educadores e administradores da escola.”

A arquidiocese notificou a polícia, mas Meyers disse que as autoridades da igreja não planejam a acusação e, em vez disso, queriam resolver a situação internamente com o dinheiro pago e as freiras disciplinadas pela sua ordem.

No entanto, alguns pais estão zangados com a rota que está a ser tomada e estão a tentar unir-se para apresentarem acusações criminais. "Éramos uma caixa multibanco, e as pessoas sabem disso e não pedem justiça", disse Jack Alexander, pai de uma criança em Saint James, ao Southern California News Group.

Ele disse que os pais sabiam que as freiras faziam viagens de jogo, mas as irmãs afirmavam que era um tio rico que as financiava. "Essas freiras fizeram um voto de pobreza e disseram: 'Ah, não, nós temos um tio rico'", disse Alexander. "O tio rico eram os pais dos estudantes do St. James."

Outro pai, que não quis ser identificado, disse à Fox 6: “Eu honestamente digo que isto não é chocante para mim. Houve alguns projetos que tentamos financiar desde há muitos anos e que infelizmente não conseguimos seguir em frente devido à falta de dinheiro”.

Mas para outros, a ideia de uma freira roubar dinheiro é difícil de acreditar. Samantha Pierce, cujo filho também se formou na escola, disse ao Press-Telegram: "Eles [a liderança da igreja] condenaram as irmãs antes de realmente terem os fatos à mão, foi isso que mais me perturbou".

A escola foi atingida por uma tragédia em 2014, quando uma condutora matou quatro pessoas, incluindo um menino de seis anos, que estava a sair de um concerto de Natal na escola. Mais tarde, elaadmitiu homicídio com o veículo por negligência grosseira.

Kreuper e Chang trabalharam na escola durante 29 anos e 20 anos respectivamente.

Nenhuma freira pôde ser contatada para comentar.

Partilhar no Facebook
55 55 Partilhas

Fonte: SIC
Crêdito foto: SIC

Goste/partilhe