Notícias : Estudante portuguesa em Londres derrota advogados em tribunal que queriam roubar idosa analfabeta
Que acha? Deixe o seu comentário aqui.  

Estudante portuguesa em Londres derrota advogados em tribunal que queriam roubar idosa analfabeta

Todos os detalhes no interior.

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
6,730 6.7k Partilhas

É de nacionalidade portuguesa, encontra-se a estudar em Londres e em tribunal derrotou advogados que queriam roubar uma idosa sem escolaridade.

Ângela Maria Sousa Baptista, nome completo da lesada, não sabe escrever nem ler e vive sozinha há mais de 40 anos em Inglaterra. Em 2006 sofreu um atropelamento e ficou física e mentalmente incapacitada. Após sete anos, foi-lhe concebida indemnização mas a sociedade de advogados que lhe tratou do caso recorreu à incapacidade mental da portuguesa, para ficar com a indemnização e gerir todos os seus bens.

A idosa tentava, há vários anos, reverter a situação mas sem êxito até que conheceu a jovem aspirante a advogada Alexandra da Silva, natural de Cardielos, freguesia de Viana do Castelo.

Sensibilizada com a história de Ângela, Alexandra disponibilizou-se a ajudá-la, apesar de ainda não ter o curso concluído. Porém, um estatuto presente na lei inglesa e que não existe em Portugal, denominado de “litigation friend” (amigo de litígio), permitiu à advogada defender a vítima perante o tribunal e foi nessa qualidade que a jovem futura advogada acabou por derrotar a firma de advogados.

A estudante portuguesa avançou com uma petição para que o tribunal investigasse o caso e apresentou provas irrefutáveis de que a lesada se encontra sã física e mentalmente e requereu que fosse ordenada à sociedade de advogados a restrição dos seus pertences.
Segundo o The Independent, a jovem afirmou que esta não foi uma disputa fácil. “Deram muita luta. Estamos a falar de uma quantia milionária e os advogados alegaram sempre que a senhora não estava capaz. Foi uma grande batalha, mas há cerca de uma semana chegou-nos a ordem do tribunal, em que o juiz corta qualquer tipo de vínculo entre eles e a dona Ângela e determina que a firma tem até 3 de Outubro de 2017 para lhe devolver todo o dinheiro e apresentar contas. Ela está radiante” declarou a jovem portuguesa.

Segundo fonte jurídica, citada pelo Jornal de Notícias, uma ocorrência destas, seria “praticamente impossível em Portugal“. Em primeiro lugar por não existir a figura do “litigation friend” e em segundo porque os sistemas jurídicos são “completamente diferentes”.

Outras notícias:

Desempregada em Portugal, portuguesa é nomeada para “Enfermeira do Ano” em Inglaterra

Sílvia Nunes, de 33 anos, não tinha oportunidades em Portugal em 2014, então decidiu emigrar para a Inglaterra.

Sílvia Nunes é natural de Vila do Conde, atualmente é enfermeira-chefe e está nomeada para dois prémios na área da Enfermagem, em Inglaterra.

A portuguesa viu o seu trabalho ser reconhecido e foi nomeada para a “Great British Awards” para as categorias de “The Good Nurse” nos Grandes Prémios Britânicos e “Care Registered Nurse”, pelo segundo ano consecutivo, nos Prémios da Saúde Nacional 2018.

Sílvia Nunes tirou o curso em Famalicão, na Escola Superior de Saúde do Vale do Ave e trabalho como voluntária nos Bombeiros de Vila do Conde, até ter emigrado para Inglaterra em 2014, onde neste momento é Enfermeira-Chefe num lar de idosos, em Thetford.

Naquele lugar ela começou por trabalhar como assistente auxiliar e, no ano de 2015, assumiu funções como Enfermeira. 

Em 2016 voutou a ser promovida e assumiu o cargo de Enfermeira-Chefe. Neste momento, para além de prestar serviços de enfermagem, Sílvia também exerce funções de gestão e supervisão.

As galas de entrega dos prémios para os quais foi nomeada (Great British Awards e National Care Awards 2018) vão decorrer entre o dia 15 e 30 de novembro, respetivamente.

Partilhar no Facebook
6,730 6.7k Partilhas

Fonte: JN
Crêdito foto: JN

Goste/partilhe