Aqui está tudo o que sabemos sobre a morte de Elisa, a mulher grávida devorada por cães

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Uma mulher grávida de seis meses foi encontrada morta no último sábado, na floresta de Retz, Saint-Pierre Aigle (Aisne), em França. Uma investigação foi aberta quarta-feira e, no momento, tudo sugere que a mulher foi atacada por vários cães.

A cena horrível ocorreu numa floresta na cidade de Saint-Pierre Aigle, enquanto um jogo de caça envolvendo 17 cavaleiros e trinta seguidores era realizado.

O promotor de Soissons, Frederic Trinh, disse em comunicado que a morte da vítima "teria sido causada por hemorragia após várias mordidas de cães nos membros superiores e inferiores e na cabeça".

Os jornais locais informaram que, no dia da sua morte, a vítima postou uma mensagem no Facebook explicando um acidente que ela havia vivido nas horas anteriores. De acordo com a jovem de 29 anos, ela teve um problema com o dono de um cão e disse ao marido que estava na presença de "cães ameaçadores".

Christophe, companheiro de Elisa Pilarksi, a mulher de 29 anos grávida de 6 meses que foi morta por cães numa floresta, decidiu explicar como descobriu o corpo da companheira sem vida.

Ao microfone do canal de televisão, ele relatou a cronologia desse trágico evento. Em particular, ele explicou que recebeu uma chamada dela explicando que ela não se sentia segura porque havia muitos cães ao seu redor. Ela estava muito preocupada com ela e com o seu cão Curtis.

A BFM TV explica que ele a levou muito a sério e decidiu ir para a floresta onde ela estava. O único problema era que ele levaria algum tempo para chegar lá porque  estava no trabalho, uma viagem que demorou 45 minutos. 

"Quando cheguei, passei o tempo a procurar por ela (...) eu vi o 4x4 (...) Foi ali que vi cães caçando. Continuei a procurar por ela e chamei por Curtis e foi aí que ele me avisou latindo. Quando vou ver no precipício, vejo trinta cães a proximarem-se de mim, então afastei-me.

Ele continua o seu testemunho chocante, explicando que descobriu o cadáver da esposa nesse precipício.

"Decidi descer o precipício e, quanto mais me aproximei, percebi que o que via não era um tronco de árvore, era a barriga da minha esposa que estava exposta porque ela estava completamente despida (...) Ela foi devorada em parte. Peguei Curtis, que estava deitado em cima dela, coloquei-a de volta no carro e fui ver vizinhos que me ajudaram a chamar a polícia. "

Foi com lágrimas nos olhos que Christophe concluiu o seu testemunho ao microfone da TV BFM. 

O canal de televisão lembra que a autópsia de Elisa Pilarski confirmou que ela foi morta por cães. 

Uma caçada que ocorreu naquele dia é apontada como razão sem a certeza absoluta que esses cães são responsáveis pela morte. Ainda está em andamento uma investigação para esclarecer esta história sórdida.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye