Ana Julia Quezada condenada a prisão perpétua pela morte do pequeno Gabriel

Todos os detalhes no interior.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Ana Julia Quezada, a madrasta que confessou ter matado o enteado de oito anos, foi condenada a prisão perpétua por homicídio agravado por grau de parentesco, a pena pode ser revista daqui a 25 anos. 

A sentença foi conhecida, esta segunda-feira, no Tribunal Provincial de Almeria, em Espanha.

Ela foi também condenada pelos danos psicológicos infligidos aos pais biológicos de Gabriel Cruz, de acordo com o jornal El País: três anos de prisão pelo pai e dois anos e nove meses pela mãe. Para além do tempo de prisão, terá de pagar 250 mil euros a cada um dos pais, para além das despesas relacionadas com as buscas do menor, no valor de 200 203 euros. 

É a primeira mulher a receber esta pena em Espanha.

Ana Julia Quezada ficou ainda proibida de viver no município de Níjar, Almeria, onde os pais da criança de oito anos residem, pelo menos nas próximas três décadas. Além disso, não pode aproxima-se destes mais do que 500 metros.

A sentença foi lida dez dias depois do júri – composto por nove cidadãos – ter considerado Ana Julia culpada de forma unânime.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: DN · Crédito foto: DN