3 irmãs adolescentes são acusadas de assassinar o pai que as violava e torturava.

Todos os detalhes no interior ...

Partilhar no Facebook
959 959 Partilhas

Muitos ativistas e advogados de direitos humanos estão indignados com o fato de três irmãs adolescentes serem acusadas pelo assassinato do pai, que as violava.

Duas das três irmãs, Krestina e Angelina Khachaturyan, correm o risco de serem sentenciadas entre 8 e 20 anos de prisão, embora os investigadores tenham mostrado claramente que o pai as tinha torturado e abusado sexualmente durante muitos anos. 

Quanto à mais jovem das três irmãs, Maria, com apenas 17 anos de idade, o tribunal disse que não foi capaz de entender o escopo das suas ações ao ser guiada numa conspiração para esfaquear o pai "controlador e pedófilo" no coração. Assim, Maria não deve ser condenada a pena de prisão. 

O pai de 57 anos chamado Mikhail Khachaturyan morreu depois de ser esfaqueado no coração com a sua própria faca de caça.

Muitos advogados pediram ao tribunal que retirasse as acusações de homicídio contra as três jovens ou que mudassem a natureza das acusações para que elas pudessem alegar legítima autodefesa. 

O pai das três jovens mulheres de 17, 18 e 19 anos foi muitas vezes comparado por elas a uma espécie de padrinho da máfia na Rússia.

Além dos advogados que estão a exigir as mudanças nas acusações contra as três irmãs, uma petição também coletou mais de 50.000 assinaturas. 

Um dos advogados das três irmãs, Mari Davtyan, denunciou a situação explicando que, na Rússia, a justiça sempre se voltou contra a vítima todas as vezes que uma mulher teve que se defender contra um agressor.

Finalmente, Anna Rivina, que está envolvida na defesa de mulheres que sofrem violência doméstica, explicou que na Rússia, era muito mais fácil uma mulher morrer do que se proteger. 

Partilhar no Facebook
959 959 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye