Lifestyle : Transtorno de dependência de ecrã: ameaça que danifica o cérebro do seu filho.
Que acha? Deixe o seu comentário aqui.  

Transtorno de dependência de ecrã: ameaça que danifica o cérebro do seu filho.

Um perigo muito presente

Publicado por Vamos lá Portugal em Lifestyle
Partilhar no Facebook
51 51 Partilhas

O transtorno de dependência de ecrã é uma ameaça que danifica o cérebro do teu filho, por isso é melhor tomares cuidado: esse é um problema muito comum e afecta cada vez mais adultos e crianças. O transtorno é mais nocivo nas crianças.

O pior é que quase todas as crianças deste planeta têm os seus olhos colados em ecrãs de aparelhos como smartphone e tablet e esses aparelhos podem prejudicar, e muito, o cérebro do teu filho.
 
Isso acontece porque o cérebro das crianças ainda está em fase de mudanças significativas na sua estrutura e conectividade.

Vários factores afectam o desenvolvimento neural e podem levar ao transtorno de dependência de tela. Aqui estão algumas das classificações do transtorno de dependência de tela:

  • Transtornos de dependência da Internet
  • Transtorno de jogos na Internet
  • Uso problemático da internet
  • Uso compulsivo da internet
  • Uso patológico de videogames
  • Vício em videogames
  • Uso patológico de tecnologia
  • Dependência de telefone celular
  • Vício a sites de rede social (Como WhatsApp  Facebook)


Segundo os psicólogos,  existem oito sintomas comuns de transtorno de dependência de tela:

  • Preocupação
  • Sintomas de abstinência
  • Desorganização e indiferença crescente em relação às outras atividades
  • Não reduzir ou interromper as atividades da tela
  • Continuar dependente apesar das consequências negativas
  • Mentir sobre a extensão do uso
  • Usar como escape para as adversidades da vida
  • Além dos sintomas, os dados do transtorno também são preocupantes. De acordo com um estudo de 2015 publicado na Behavioral Sciences, cerca de
  • 12% dos jovens adolescentes americanos são “videogamers patológicos”.

Jogar não envolve substâncias químicas, mas certamente leva ao desenvolvimento de sintomas semelhantes aos do vício.

A especialista em Vida Familiar e Desenvolvimento Infantil e Educadora da Primeira Infância, Claudette Avelino-Tandoc, explica que o transtorno de dependência de ecrã causa insónia, dor nas costas, flutuação de peso, problemas de visão, dor de cabeça, ansiedade, desonestidade, sentimentos de culpa e solidão.

Os sintomas mais graves incluem danos cerebrais: os cientistas descobriram que o uso excessivo de ecrãs e o transtorno de dependência de ecrã são responsáveis pelo encolhimento do cérebro das crianças.

Incrivelmente as crianças perdem tecido no lobo frontal, estriado e ínsula. Essas partes do cérebro são responsáveis pelo planeamento, organização, supressão de impulsos socialmente inaceitáveis e capacidade de desencadear compaixão e empatia.

Se tens filhos que sofrem de transtorno de dependência de ecrã, vê o que deves fazer para ajudá-los:

Filhos de 0 a 18 meses

Usa a média da tela apenas quando tiveres que fazer conversas por vídeo.

Se o teu filho (a) tiver de 18 a 24 meses e quiseres introduzir média digital, certifica-te de escolher uma programação de alta qualidade.

Senta-te ao lado do teu filho e ajuda-o a entender o conteúdo.

Filhos de 2 a 5 anos

Não deixes o teu filho usar ecrãs por mais de 1 hora.

Ajuda o teu filho a entender o conteúdo do programa e sugere algumas maneiras de usá-lo na tua vida quotidiana.

Filhos de mais de 6 anos

Limita o tempo que o teu filho passa no computador ou no smartphone.

Certifica-te de que o “tempo de tela” não afeta o seu padrão de sono ou actividade física.

Define regras e obriga-o a respeitá-las. Aproveita os tempos livres de ecrã e sai com o teu filho com mais frequência.

Escolhe várias atividades que gostas e ajuda o teu filho a entender que ele não precisa do telemóvel nem do tablet o tempo todo.

Conversa. O teu filho precisa do teu conselho e da tua opinião.

Fala sobre cidadania e segurança online.

Presta mais atenção à maneira como o teu filho trata as pessoas on-line e off-line.

Partilhar no Facebook
51 51 Partilhas

Fonte: Eu gosto e tu?
Crêdito foto: Eu gosto e tu?

Goste/partilhe