Sara Carreira: Sem apoio da família, o que sofreu para cantar

Sara fala da reação negativa da família

Partilhar no Facebook
237 237 Partilhas

Sara Carreira: Sem apoio da família, o que sofreu para cantar

Sara Carreira de 19 anos está a realizar um sonho antigo. Mas ao contrário do que seria de esperar a jovem teve de lutar pelo seu sonho e sem o apoio incondicional da família Carreira.

Quis o destino que a filha mais nova seguisse os passos do pai, Tony Carreira e dos irmãos Mickael, 32 anos, e David, 27: a música. 

'Vou Ficar' é o nome do single de estreia e, tal como o pai e os irmãos, Sara teve direito a promoção nos principais programas da televisão nacional. No domingo, 24, esteve no 'Dança com as Estrelas', da TVI, naquela que foi a sua primeira atuação em televisão. Nervosa, a jovem acabou por receber o carinho dos fãs. "Vocês não viram mas tinha a perna a tremer", disse no final da atuação a Rita Pereira e Pedro Teixeira.

Nesta segunda-feira a jovem foi ao "Programa da Cristina" e contou um pouco desta aventura que não foi do  agrado da família: "Eles não queriam que eu cantasse mas era mais por preocupação."

Sara confidenciou que tem uma forte ligação com o pai, com quem passa férias.

Outros artigos da família Carreira:

Laura Figueiredo já não sonha casar com Mickael Carreira «, parece que quebrou um bocadinho o encanto»

Laura Figueiredo perdeu o pai há 14 anos, eles tinham uma relação muito próxima e por isso com a morte do pai também morreram alguns sonhos. Um deles foi o casamento.

 «Quando o meu pai morreu perdi essa vontade,eu planeava tudo, tinha tudo planeado mas para fazer com o meu pai, não estando ele, parece que quebrou um bocadinho o encanto», conta Laura

Apesar de já não sonhar em casar, não coloca essa hipótese, até porque se Mickael lhe fizer o pedido ela irá aceitar:«É bonito, mas se algum dia acontecer, será uma coisa muito simples. O casamento não faz parte dos planos, é um momento que tanto eu com ele achamos que é uma passagem bonita do casal, mas não está previsto para já, nem sinto falta disso. Acho que há muitos casais que estão casados e que não são tão casais como nós. Estamos bem como estamos», garante.

Laura perdeu o pai tinha apenas 18 anos e confessa que é uma dor que nunca se supera. Lamenta a filha nunca ter conhecido o avô:

«Tenho muita pena que ele não tenha conhecido a neta, noto que a relação que a Beatriz tem com o Mickael é muito parecida com a que eu tinha com o meu pai, e é muito bonito. Dá-me muitas saudades pensar nisso e em tudo aquilo que ele me ensinou». Laura quer dar a mesma educação à filha que recebeu «Educo da forma que o meu pai me ensinou, muita gente me pergunta há quanto tempo ele morreu porque parece que eu o perdi há meses, estou sempre a falar nele. Um bom pai e uma boa mãe passam tantas bases que nos acompanham diariamente para o resto da vida», interrompe, para depois acrescentar:   «Só espero fazer o mesmo com a Bia. Falo-lhe muito dele, acredito que de alguma forma eles já se conhecem.»

Laura Figueiredo só deixa a filha com três pessoas! Tony Carreira não é um deles

A namorada de Mickael Carreira assume-se uma mãe leoa e confessa que lhe doí o coração quando tem de deixar a filha. Beatriz vai fazer dois anos e Laura tem-se dicado à filha, só em Setembro é que a menina vai começar a frequentar a escola.

 A antiga apresentadora confessou que está muito ligada à filha e por isso só a consegue deixar com três pessoas.

«Gostava de ter mais um filho, evidentemente,  para uma criança se puder ter irmãos é sempre bom, mas não para já. Acho que eu preciso também de estar mais independente, ter um bocadinho para mim. Acho que nós nos tornamos mais dependentes deles do que eles de nós», disse na apresentação da nova coleção da Aldo.

«Eu saio de casa já com um aperto no coração e tiro uma fotografia antes para saber como é que ela estavaEla só fica com o pai, uma amiga muito próxima nossa ou com a avó (mãe de Mickael Carreira), são as três pessoas com quem a Bia fica, de resto eu não deixo. Sou mãe leoa», sublinha.

Laura Figueiredo admite que se controla para não estar sempre a ligar para casa para saber como está a filha. «Não ligo quando a deixo, controlo-me. Tenho a sorte de receber vídeos de qualquer um dos três, como eles sabem que não ligo, eles vão-me dizendo como é que ela está», ri-se.

Laura confessa-se nervosa com o facto da menina ir para a escola em Setembro: «Acho que é importante para as crianças irem para a escola e conviver com outras crianças. A minha família está toda no Brasil e é lá que estão as crianças da família, noto que à Bia lhe falta conviver com bebés. Faz com que eles não sejam tão preguiçosos, se calhar ela já estaria a falar melhor se estivesse numa creche», partilha, Laura Figueiredo.

Partilhar no Facebook
237 237 Partilhas

Fonte: www.flash.pt · Crédito foto: www.flash.pt