Revelação! Zé do Pipo injetou-se com o próprio sangue antes de desaparecer

Cantor fez terapia de autosangue

Partilhar no Facebook
117 117 Partilhas

Revelação! Zé do Pipo injetou-se com o próprio sangue antes de desaparecer

Cantor fez terapia de autosangue

Passaram dois meses e meio desde que Zé do Pipo desapareceu. As buscaas já terminram há muito tempo, mas agora uma entrevista da mulher trouxe este assunto de novo à imprensa.

 
Celeste Roberto, mulher do Zé do Pipo acredita que o marido se suicidou. Sabe que terá e aguardar anos até a sua vida ficar organizada, fazer partilhas, casar se assim for o caso... "É uma vida em suspenso. Tenho de aguardar dez anos até ser declarada morte presumida."

Diagnosticado com bipolaridade, o cantor estava a ser acompanhado por um psiquiatra e já tinha falado em suicídio e na vontade de se atirar ao mar. Será que o fez? Todas as pistas apontam para esse cenário.

Em finais de 2017 o cantor fez um tratamento que tem tanto de revolucionário quanto de polémico, uma vez que a terapia alternativa não é bem vista pela classe médica.

"O Nuno parou o tratamento com os químicos [para tratar a doença bipolar] em novembro de 2017, começou a fazer um tratamento de autosangue [ou auto-hemoterapia, uma terapia que consiste na aplicação intramuscular de 5 a 20 miligramas de sangue extraído do próprio paciente que é aplicado diretamente no músculo do braço ou da nádega do doente e desperta a adrenalina no corpo] numa clínica da Marinha Grande", revela a mulher de Zé do Pipo.


Segundo a mulher, a verdade é que  "O Nuno fez dez tratamentos de autosangue e, no fim, parecia outra pessoa","Em janeiro [de 2018] ia todos os dias ao ginásio. Nunca ia, com a doença às vezes mal se mexia, e de repente ia todos os dias fazer exercício. Avisei-o que era demais e até brinquei com ele, dizendo-lhe que qualquer dia, de tanto exercício, ficava invisível."   

Outros artigos:

Mulher de Zé do Pipo faz o inesperado! 

Mulher apaga todas as pistas sobre o marido desaparecido

Zé do Pipo desapareceu há dois meses. As esperanças que apareça vivo são praticamente nulas. A família aos poucos vai-se conformando com a possibilidade de suicídio. 

O cantor sofria de uma depressão grave, sofria de doença bipolar e foi aconselhado pelos médicos a deixar o "Zé do pipo". No dia 5 de Novembro foi até Peniche de Carro e simplesmente desapareceu. Foi procurado por terra e por mar, mas nem sinal do cantor.

Celeste Baptista, companheira de Nuno nos últimos 22 anos, assume à TV Guia que apagou tudo o que estava no computador do marido, revelando que ninguém lhe pediu para não o fazer. "Já formatei o computador e apaguei tudo o que o Nuno tinha lá dentro.

"Ninguém me pediu para ver nada, mas se quiserem confirmar que ele andou a ver as marés chegam lá pelo Google", explica.

Celeste Batista explicou à revista que vai falar com a advogada, uma vez que ainda não se constituiu assistente no processo: "É uma vida em suspenso. Tenho de aguardar dez anos até ser declarada morte presumida. Ele falou ao psiquiatra em suicídio e disse que se atirava ao mar. Tenho empréstimos das casas. Vou continuar a pagar enquanto puder. Quando não puder logo se vê... as casas também são dos meus filhos".

Celeste confidenciou que os filhos aos poucos estão a ultrapassar a morte do pai:"O nosso filho mais velho já percebeu tudo e o nosso filho mais pequeno, de três anos, fez um desenho da família na escola e desenhou a mãe, o irmão, os avós e já não desenhou o pai", afirmou.

Partilhar no Facebook
117 117 Partilhas

Fonte: www.flash.pt · Crédito foto: www.flash.pt