O caso está feio! Revelados novos documentos sobre suposta violação

Novas provas sobre a alegada violação

Partilhar no Facebook
380 380 Partilhas

O caso está feio! Revelados novos documentos sobre suposta violação

O caso passou-se em 2009, quando Cristiano Ronaldo passou umas férias em Las Vegas. Conheceu Kathryn Mayorga na noite e esta afirma que foi violada pelo craque português.

Em 2010, Cristiano Ronaldo terá comprado o silêncio desta mulher com cerca de 300 mil euros, no entanto a atual professora diz estar arrependida e quer levar o caso até ás últimas consequências. 

A mulher de 34 anos deu uma entrevista nos últimos dias que reascendeu esta polémica.

O Jornal The Sun, teve acesso a documentos, com declarações da mulher, apresentadas pelos seus advogados.

“O Cristiano Ronaldo puxou a vítima para o quarto, levou-a para a cama e tentou envolver-se sexualmente (…) Depois de Cristiano Ronaldo a ter forçado a ter relações sexuais, deixou-a sair do quatro e disse que sentia muito e que geralmente era um cavalheiro” revelou o referido jornal.

Cristiano Ronaldo acusado de violação!

As declarações da mulher

O caso remonta a 2009, quando  Kathryn Mayorga, uma norte-americana de 34 anos, denunciou Cristiano Ronaldo por uma violação. A situação terá acontecido num quarto de hotel em Ls Vegas e a mulher alega que Cristiano Ronaldo a obrigou a praticar sexo anal.

Esta polémica rebentou o ano passado, quando foram tornados públicos documentos cedidos pela plataforma digital "Football Leaks". O caso volta a ganhar dimensão nesta sexta-feira com  as primeiras declarações públicas de Kathryn à revista alemã.

 A alegada vítima disse que Cristiano terá, no final do ato, perguntado se ela estava com dores e dito: "Eu sou um homem 99% bom, não sei o que é este 1%".

A mulher afirma que Cristiano Ronaldo lhe pagou cerca de 323.683 euros,  para que não apresentasse queixa, mas o advogado de Kathryn terá avançado, entretanto, com uma impugnação do acordo.

Os advogados de Cristiano Roanaldo negam tudo e afirmam que a  informação é "flagrantemente ilegal" e que "viola os direitos pessoais" do futebolista português de uma "forma excecionalmente séria""Esta é uma divulgação inadmissível de suspeitas na área da privacidade", lê-se.

Segundo a publicação Spegel, Cristiano Ronaldo negou estas acusações  e assegurou que a relação sexual foi concedida. Para apoiar sua abordagem, a advogada Kathryn Mayorga conta com um documento onde o jogador explicaria: " Ela disse não e parou várias vezes. " 

Partilhar no Facebook
380 380 Partilhas

Fonte: dioguinho.pt · Crédito foto: dioguinho.pt