Famosos : Luciana Abreu já reagiu à polémica entrevista do ex-marido
Que acha? Deixe o seu comentário aqui.  

Luciana Abreu já reagiu à polémica entrevista do ex-marido

Saiba como reagiu Luciana

Publicado por Vamos lá Portugal em Famosos
Partilhar no Facebook
471 471 Partilhas

Luciana Abreu já reagiu à polémica entrevista do ex-marido

O ex-marido de Luciana Abreu, deu uma longa entrevista a Manuel Luís Goucha. Yannick Djaló voltou a referir que Luciana não o deixa ver as filhas . 

«Infelizmente, não tenho hipótese de ser pai… De um lado, tenho um filho, o Christian, de 10 anos, onde tenho uma relação normal de pai, e, do outro lado, não me deixam ser pai», lamenta.

 Há dois anos sem ver as filhas, confessou:«Por vezes, choro à noite com saudades».

A cantora foi contactada pelo site da revista Maria e sem querer alongar nos comentários, Luciana garante que o assunto está a ser tratado em sede própria. «Esta tudo a ser tratado na justiça», diz-nos Luciana Abreu.

Outros artigos:

Yanick revela: Filhas não lhe podiam dar um beijinho

Luciana Abreu e Yanick Djaló estão em guerra há muito tempo. Apesar do casamento ter terminado há muito tempo, os problemas arrastam-se até aos dias de hoje e o jogador há dois anos que não vê as filhas. 

Numa entrevista a Manuel Luís Goucha, Yanick abriu o coração e contou a sua versão dos factos: «Estou privado de poder vê-las, num processo que é muito difícil para mim… Não tem cabimento nenhum, porque não vejo fundamento em tudo o que está à volta. Muitas vezes intitulam como uma guerra, eu não vejo como uma guerra, nem creio que seja uma guerra, porque é um direito meu», começa por dizer

«Infelizmente, não tenho hipótese de ser pai… De um lado, tenho um filho, o Christian, de 10 anos, onde tenho uma relação normal de pai, e, do outro lado, não me deixam ser pai», lamenta.

Yannic está muito tempo fora devido à sua profissão, mas quando está cá quer estar com os filhos: «Sou um pai presente, quando estou cá. A minha profissão não me deixa ser presente a tempo inteiro, mas sempre que estou em Portugal, o Christian passa o tempo todo comigo. Há uma excelente relação com a mãe e é uma pena que não possa ser assim com a mãe das minhas filhas, porque não havia motivo para ser de outra forma.»

Manuel Luís Goucha questionou sobre o polémico episódio de ter ido à escola para poder ver as filhas : «Eu tive a sorte de ver uma das minhas filhas, a minha filha mais nova, não como eu gostaria, à porta da escola… Tive de descobrir onde a escola ficava. Nem sequer sabia que tinha mudado de escola. A diretora da escola perguntou como é que eu descobri onde era a escola», pormenoriza. «Parece que era uma espécie de segredo que não se podia saber. Quando chego perto da minha filha, a primeira coisa que ela me disse foi ‘quero morar com a mamã’», relembra o angolano.

"Entendi essa frase como… O pai nunca lhes fez mal nenhum, o pai nunca lhes bateu. E a primeira reação que ela tem…», conta, sem conseguir terminar uma frase. «Ela vai continuar a morar com a mamã, ela está bem com a mãe, o pai não a vai retirar na mamã, o papá só vai dar-lhe um beijinho», defende.

E relembra como aquele contacto aconteceu, quase dois anos depois de a ter visto pela última vez. «Nisto a menina vinha para me abraçar e ao mesmo tempo tinha um conflito de ideias que se notava perfeitamente... Vinha para o meu colo e, de repente, vira e abraça a professora a chorar e eu disse ‘pronto… Disse que não precisava de me dar um abraço, só dar-me um beijinho’ e deu-me um beijinho…»

Yannick ainda conseguiu registar o momento e, no vídeo, vê-se uma menina feliz por estar com o pai. Contudo, a felicidade do jogador iria durar muito pouco… «Primeiro, fiquei super feliz por ver a minha filha, eu ia ver as duas, as duas estão na mesma escola. Mas aconteceu um episódio lamentável, lamentável. A diretora da escola levou-me para uma sala, ligaram para a mãe das minhas filhas e, de seguida, ela mandou ir buscar as crianças logo. Nem cinco minutos depois, levaram as crianças a correr, entraram num táxi e…», refere, entristecido.

Goucha questionou se o jogador levou a imprensa para registar o momento: «Não levei ninguém atrás de mim, a minha preocupação foi engolir o meu orgulho e contactar a mãe das minhas filhas. Quando terminou a relação com a Luciana, a exigência era que o Yannick fosse a casa da Luciana, o que ficou posto de parte porque não fazia sentido nenhum», adianta. «É triste um pai ir visitar as filhas e estarem-me a controlar, literalmente, tinha de estar a mãe ou a irmã a ver se as meninas me dava um beijinho, não podiam dar beijinho… É triste, sou pai delas, não tenho nenhuma doença, não tem mal nenhum».

«Quando nos separamos, que foi há dois anos e não em 2013 como muita gente pensa, eu disse que, nessa altura, não ia mais a casa dela, por vários motivos..

Yanick tem medo que este afastamento influencie a sua relação futura com as meninas:«Quero acreditar que não seja o caso, mas tenho receio, ainda mais com a Lyonce. Tinha uma relação muito forte com ela, ela era bastante apegada a mim, neste momento, não sei porque eu não consegui estar com ela», lamenta.

«Eu tinha contacto direto com elas, porque lhes tinha oferecido um ipod, em que tinhamos uma aplicação onde podíamos fazer videochamadas. A partir do momento em que nos separámos, fui bloqueado do ipod delas, para não ter acesso direto a elas», assegura, tentando desviar a ideia de que, um dia, as filhas o possam considerar uma pessoa estranha. «Não vou deixar que isso aconteça, porque as coisas chegam a um ponto que vão ter de rematar para algum lado...»

Certo é que, em tribunal, Yannick conheceu a sentença. «Tenho direito a estar com as minhas filhas ao fim-de semana.» Mas não é isso que acontece há quase dois anos. «O pais serve para pagar, mas não serve…», refere, com reticências, deixando antever que o pai não servirá para ver as filhas.

Sobre a indemnização que estará intimado a desembolsar por alegado incumprimento do pagamento a pensão de alimentos das filhas, Djaló esclarece tudo. Afinal, deve ou não deve? «É verdade, quando pensamos que, mensalmente, não está a entrar dinheiro. (A Luciana) pode ter esse argumento, mas o valor com o qual ela ficou, o valor de 2016 que eu lhe transferi… O Yannick cumpriu sempre com os pagamentos da pensão de alimentos, tenho os recibos das transferências todas», garante.

«Tenho 129 mil euros que entraram só em 2016 para a pensão de alimentos.»

Partilhar no Facebook
471 471 Partilhas

Fonte: www.vip.pt
Crêdito foto: www.vip.pt

Goste/partilhe