Fraude! Afinal, Paula Leça mentiu e não é a “menina dos hambúrgueres” de Cristiano Ronaldo

Piers Morgan “desmascarou” a mulher

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fraude! Afinal, Paula Leça mentiu e não é a "menina dos hambúrgueres" de Cristiano Ronaldo

Piers Morgan "desmascarou" a mulher

Numa entrevista intimista ao canal canal britânico ITV, Cristiano Ronaldo contou uma história inédita:

"Tínhamos um pouco de fome. Havia um McDonald's ao lado do estádio, batíamos à porta e pedimos para ir comer um hambúrguer qualquer. Estavam lá sempre a Edna e duas outras meninas. Nunca mais as encontrei. Perguntei por elas em Portugal, mas entretanto fecharam o McDonalds. Mas, se esta entrevista puder ajudar a encontrá-las, eu ficaria muito feliz. Quero convidá-las para irem a Turim ou a Lisboa jantar comigo. Quero dar algo em troca."

O craque nunca esqueceu esse gesto e na entrevista disse que gostava de encontrar estas mulheres. Paula Leça chegou-se à frente e garantiu, à Rádio Renascença, que ela era uma das raparigas que trabalhavam, na época, numa cadeia de fast food, e que tinha dado hambúgueres ao craque português para lhe matar a fome.

"Ainda estou a achar graça. Já tinha contado ao meu filho... que achava que era mentira, porque a mãe dele nunca na vida poderia ter dado um hambúrguer ao Cristiano Ronaldo. O meu marido já sabia, foi algumas vezes buscar-me lá á noite e também viu. É engraçado que se volte atrás no tempo... Mostra a humildade dele. Só falta o jantar? (risos) 'OK', se chegar chegou. Pelo menos as pessoas sabem que isto não era uma invenção. Se vier o convite, lá estarei com certeza. A primeira coisa será agradecer e, no jantar, teremos tempo para recordar esse tempo", contou, em entrevista à Rádio Renascença. 

No entanto o jornalista  britânico que utilizou a sua conta no twitter para denunciar a mulher. "Ela não é uma das três mulheres que Ronaldo procura", esclareceu.

Outros artigos:

Dolores Aveiro confessa: "Cristiano Ronaldo era do Benfica"

Dolores Aveiro deu uma entrevista ao "Mais Futebol" e recordou os tempos em que Cristiano veio para Lisboa quando tinha apenas 12 anos.

A matriarca revelou ainda que o filho ao contrário dela, nem sempre foi do Sporting. Cristiano Ronaldo era do benfica:“Sou sportinguista por causa do meu pai. Foi o bichinho. O Ronaldo também era do Benfica por causa do pai. Mas mal chegou ao Sporting, tornou-se sportinguista. Até hoje“, contou a mãe de CR7.

Recordou ainda os telefonemas diários com Cristiano Ronaldo

Podia perceber o seu estado de ânimo no primeiro segundo do telefonema. Mal ele atendia, já sabia. Nas chamadas mais chorosas, eu dizia-lhe ‘Filho, a mãe vai aí, mas tens de continuar a lutar pelo futebol se é isso que queres’“.

Mais palavras para quê? Meteu na cabeça que ia ser jogador de futebol e trabalhou para ser o que é. Chegou o mais alto possível e ainda tem muito para dar“.

Descoberta uma das mulheres que dava hambúrgueres a Cristiano Ronaldo

Já foi descoberta uma das mulheres que Cristiano Ronaldo falou na entrevista que deu ao canal  britânico ITV. O jogador relembrou os tempos em que não tinha dinheiro e que com fome pedia comida.

"Tínhamos um pouco de fome. Havia um McDonald's ao lado do estádio, batíamos à porta e pedimos para ir comer um hambúrguer qualquer. Estavam lá sempre a Edna e duas outras meninas. Nunca mais as encontrei. Perguntei por elas em Portugal, mas entretanto fecharam o McDonalds. Mas, se esta entrevista puder ajudar a encontrá-las, eu ficaria muito feliz. Quero convidá-las para irem a Turim ou a Lisboa jantar comigo. Quero dar algo em troca."

Uma das mulheres foi encontrada, chama-se Paula Leça e lembra-se bem dos tempos que dava comida a Cristiano Ronaldo que era um dos mais tímidos do grupo.

"Ainda estou a achar graça. Já tinha contado ao meu filho... que achava que era mentira, porque a mãe dele nunca na vida poderia ter dado um hambúrguer ao Cristiano Ronaldo. O meu marido já sabia, foi algumas vezes buscar-me lá á noite e também viu. É engraçado que se volte atrás no tempo... Mostra a humildade dele. Só falta o jantar? (risos) 'OK', se chegar chegou. Pelo menos as pessoas sabem que isto não era uma invenção. Se vier o convite, lá estarei com certeza. A primeira coisa será agradecer e, no jantar, teremos tempo para recordar esse tempo", explica Paula Leça

"Apareciam à frente do quiosque, como quem não quer a coisa, e quando havia hambúrgueres a mais a nossa gerente dava-nos autorização para cedê-los. Um deles era o Cristiano Ronaldo, que por acaso era o mais tímido. Era assim que acontecia quase todas as noites da semana. Ronaldo tímido? Sim, na altura. Ele não era sempre o que pedia, ficava até para trás", acrescenta.

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: www.flash.pt · Crédito foto: www.vip.pt