Estará Francisco D’Eça Leal a contar toda a verdade?? Especialista em gestos conta tudo!

«O inocente ataca e não ri»

Partilhar no Facebook
43 43 Partilhas

Estará Francisco  D’Eça Leal a contar toda a verdade?? Especialista em gestos conta tudo!

Francisco D’Eça Leal esteve no programa Vidas Suspensas na SIC, onde revelou que a cantora Maria Leal lhe roubou cerca de um milhão de euros. 

A revista TV7Dias entrou em contacto com Alexandre Monteiro, especialista em decifrar pessoas, para perceber de que forma as acusações que Francisco faz a Maria Leal são confirmadas pela linguagem corporal que este apresentou durante toda a entrevista.

Lembramos que Francisco sofre de  Esquizofrenia e por isso pode ter alguma influencia nos seus gestos. 

O especialista considerou que o jovem tinha sentimentos verdadeiros pela cantora, no entanto em certos casos o especialista considera que o jovem recorreu à manipulação das próprias respostas, o que demostra que pode estar a mentir.

«A maioria das pessoas tem um sinal especifico ou padrão quando mente e em várias respostas Francisco tapa a boca. Pode ser este um dos seus comportamentos padrão quando tenta manipular», refere o especialista.

Quando Francisco fala das contas e do facto de não as verificar, dizendo «eu não sabia porque não ia verificar as minhas contas», o artista tem um comportamento que indica verdade.

«Francisco usa o pronome “eu”. Quando mentimos, o inconsciente dissocia-se da ação e faz com que as pessoas não verbalizem a palavra “eu”. Como acena “não” com a cabeça, quando diz “não sabia”, e refere o pronome indica verdade.

"Fica cabisbaixo, o que indica vergonha, e encolhe os ombros. Encolher os ombros é sinal de incerteza, logo confirma o desconhecimento

À questão «Quem me garante que não foi o Francisco que gastou esse dinheiro?», Francisco respondeu de forma manipulada.

«Francisco responde “porque eu não comprava quase nada”. O inocente tem como comportamento normal defender-se em primeiro lugar e usa o mesmo verbo da pergunta. Ao responder desculpa-se logo “porque não comprava quase nada”, muda o verbo para comprar e  não responde “eu não gastei!

Quando inicia a resposta, faz uma ligeira pausa e depois continua. Este comportamento é intitulado de “lapso freudiano”, que indica correção racional do que ia dizer. “A boca foge para verdade” e ainda faz a microexpressão de desprezo caraterizada por um sorriso assimétrico, quando diz “Não comprava quase nada”. Isto indica probabilidade de manipulação de resposta

No que diz respeito às expressões reveladas em fotografias do casal, Francisco demonstrava felicidade mas Maria Leal não parecia sentir o mesmo.

«Uma das formas para detetar a felicidade verdadeira é verificar o elevar dos cantos da boca e a contração por debaixo dos olhos.

Francisco eleva os cantos da boca e apresenta contração por debaixo dos olhos (felicidade verdadeira) já Maria Leal não tem estes comportamentos de felicidade verdadeira.»

Sobre a questão da compra das ações do Futebol Clube do Porto, Francisco não se acusava como responsável. No entanto, as expressões corporais dizem o contrário.

«Resposta de Francisco: “Eu não comprei nada do Porto, nem ligo nada ao futebol”, e na altura que responde faz a micro expressão de desprezo e ri.

Quando uma pessoa faz a microexpressão de desprezo indica “Sorriso do manipulador”. Se ainda ri quando acusado pode indicar culpabilidade, isto porque o inocente ataca e não ri»

Relativamente à questão: “Foi nessa altura que descobriu que não tinha um tostão?”, Francisco demonstra sentir vergonha.

«Francisco baixa a cabeça e pressiona os lábios, o que expressa sinal de vergonha e stress emocional»

Partilhar no Facebook
43 43 Partilhas

Fonte: www.tv7dias.pt · Crédito foto: www.tv7dias.pt