Escândalo: Em horário nobre, ex-marido arrasa Maria Leal!

Maria Leal “enxovalhada” na TV

Partilhar no Facebook
429 429 Partilhas

Escândalo: Em horário nobre, ex-marido arrasa Maria Leal! 

Maria Leal vê-se envolvida numa grande polémica, e esta é das sérias. A cantora está a ser acusada de roubo, por parte do ex-marido.

Ontem, foi transmitida uma reportagem da SIC onde Francisco d'Eça Leal fala sobre o roubo de quase um milhão de euros, herança deixada pelo seu pai.

No programa Vidas Suspensas, o jovem que tinha apenas 21 anos quando herdou uma pequena fortuna mais de 500 mil euros em dinheiro, quatro apartamentos num dos bairros mais caros de Lisboa, Campo de Ourique, além do recheio das casas e do vasto espólio artístico do pai (trabalhos de pintura, escultura, gravuras, ilustrações), conta como em pouco tempo a sua conta bancária reduziu apenas para 200 mil euros.

Francisco, é um jovem com problemas, tinha apenas 18 anos quando teve o primeiro  surto de esquizofrenia. Foi internado. «Começou a ter tiques e conversas esquisitas que não eram do Francisco», conta a mãe.

Mais tarde, com 21 anos deixou de tomar a medicação e teve de ser internado no hospital Júlio de Matos, atirando-se da janela do estabelecimento: «A senhora do hospital fechou a porta do quarto [onde Francisco estava internado] e a janela abriu-se. Subi para o telhado e atirei-me lá de cima», relata. Caiu de uma altura de cerca de 12 metros e fraturou a coluna. Pensou-se que ia ficar paraplégico. Quinze dias depois o pai morreu, deixando uma herança milionária. Pouco tempo depois, Francisco e Maria Leal terão começado a viver juntos e os gastos terão começado a aparecer. 

Maria Leal terá gasto cerca de  «800/1000 euros» por semana só nas lojas de Campo de Ourique. 

Francisco diz ainda que não fazia ideia destes gastos. «Eu não sabia porque eu não ia verificar as minhas contas. Deixei tudo entregue a ela. Eu nunca comprei nada. Comprei a guitarra elétrica que custou 700 euros, nem sequer chegou a 1000 euros.» O jovem afirma que estava cego por amor. «Eu não queria acabar a nossa relação. Cortei relações com os meus amigos, com a minha mãe. Ela dizia que se não fizesse o que ela queria ia-se embora. Deixei de atender os telefones e de falar com ela [a mãe].»

Ao fim de quatro anos já nada restava da herança, apenas a casa onde Francisco mora atualmente, em Campo de Ourique.

Partilhar no Facebook
429 429 Partilhas

Fonte: dioguinho.pt · Crédito foto: dioguinho.pt