Que disse realmente Carlos Queiroz a João Moutinho?

Saiba tudo.

Partilhar no Facebook
384 384 Partilhas

O selecionador do Irão, Carlos Queiroz deu uma entrevista ao jornal Público, na qual falou sobre os recentes acontecimentos do jogo contra Portugal, que se desenrolou de forma muito intensa e polémica, principalmente na reta final, e que resultou em algumas críticas ao português.

«Ao contrário de alguns dos comentaristas que me criticaram depois da partida, eu não devo nada a ninguém. Nunca pedi dinheiro a presidentes dos clubes para pagar as minhas contas. Conheço-os a todos e conheço os presidentes que lhes davam dinheiro para eles falarem. E é por isso que alguns não gostam de mim. Sei como alguns pagam as suas contas», acusou.

Nesta entrevista, onde Carlos Queiroz questionou o papel do VAR e a incoerência de análise em alguns lances, o selecionador do Irão respondeu também a palavras de jogadores da Seleção portuguesa, notoriamente a Ricardo Quaresma.

«O Quaresma ainda vai ter de jogar pela selecção e não vou tecer muitos comentários. Mas se todos os treinadores que ele teve falassem dele ficariam alguns anos a falar. Todos, desde o Sporting ao FC Porto. É melhor ficarmos por aqui. Se tiver de dizer alguma coisa sobre mim, que tenha coragem e que o diga agora. Dizer que eu não respeitei os jogadores portugueses… Como é que eu não os respeitei? Mesmo assim fiquei feliz por três jogadores portugueses me terem cumprimentado no final, o Adrien, o Bruno Alves e o Beto», disse o técnico do Irão, que depois reiterou a ideia de que Cristiano Ronaldo devia ter sido expulso quando o árbitro visualizou as imagens da suposta agressão (entendeu dar amarelo).

«É claro e óbvio que o árbitro depois de ter sido pressionado pela equipa portuguesa não teve coragem. Mas não foi só isso. Logo a seguir o Cristiano interceptou uma bola com a mão no ar e não lhe é mostrado segundo amarelo. Houve ainda uma falta clara sobre o Taremi em que o William lhe faz uma ‘gravata’ por trás e não é assinalado penálti», acrescentou.

Por fim, o terá dito a João Moutinho momentos antes de este entrar em jogo.

«É muito simples, disse o seguinte: ‘João ajuda-me a acalmar aquela malta lá dentro. Os meus jogadores não têm muita experiência, ajuda todos a terem calma’», contou.

Partilhar no Facebook
384 384 Partilhas

Fonte: VLP · Crédito foto: VLP