Desporto : Messi responde finalmente a Cristiano Ronaldo sobre mudar-se para Itália
Que acha? Deixe o seu comentário aqui.  

Messi responde finalmente a Cristiano Ronaldo sobre mudar-se para Itália

Messi não se escondeu e respondeu sem papas na língua

Publicado por Vamos lá Portugal em Desporto
Partilhar no Facebook
244 244 Partilhas

"Gostaria que ele viesse para a Itália, um dia. Que, como eu, aceite o desafio", lançou como desafio Cristiano Ronaldo a Lionel Messi, numa entrevista publicada pela "La Gazzetta dello Sport", "Corriere dello Sport" e "Tuttosport".

"Eu joguei na Inglaterra, na Espanha, em Portugal, na seleção, e ele, por outro lado, continua na Espanha. Talvez seja ele quem precise mais de mim. Para mim, a vida é um desafio, e gosto de fazer as pessoas felizes", disse o craque da Juventus, naquilo que foi entendido como um desafio ao jogador do Barcelona.

A resposta foi dada agora. Numa entrevista ao jornal madrileno "Marca", Lionel Messi não fugiu ao tema. "Não tenho necessidade de mudar. Estou na melhor equipa do Mundo e os meus desafios são renovados a cada ano. Por isso, não preciso de mudar de equipa ou de campeonato para ter novos objetivos. Estou na minha casa, na melhor equipa do Mundo", disse o argentino.

Na mesma entrevista, o jogador do Barcelona não se escusou a abordar a surpreendente saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid. "Sempre me referi ao Real como um grande clube, com grandes jogadores. Mas qualquer equipa sentiria a falta de Cristiano Ronaldo. Além de marcar muitos golos, faz muitas outras coisas em campo", continuou.

Messi demonstrou também não ter sido surpreendido por não ter conquistado a Bola de Ouro. "Sabia que este ano não teria a possibilidade de a ganhar. Ouvia os nomeados e sabia que não ia estar na luta", concluiu.

Outras notícias:

Rui Costa: «Tínhamos vergonha de imitar Ronaldo e íamos treinar às escondidas»

Rui Costa foi um dos convidados famosos presentes no lançamento do livro "Duelo Nunca Visto", de Luís Miguel Pereira e Luciano Wernicke, que decorreu na segunda-feira, no Footlab, em Carnaxide, um livro que aborda a rivalidade entre Cristiano Ronaldo e Messi. 

Rui Costa referiu que nunca jogou com Lionel Messi, mas o antigo internacional português recordou os tempos em que alinhou com Cristiano Ronaldo pela Seleção Nacional.

"Tive o privilégio de jogar com o Cristiano Ronaldo quando estava a crescer no futebol. Ele aparece na campanha de 2004 que coincide, por sinal, com a minha despedida da seleção. Ronaldo era o mais novo de todos, mas sempre se integrou bem e em cada treino de manhã tinha uma nova finta para nos mostrar. A verdade é que tínhamos vergonha de o imitar no treino e íamos treinar às escondidas [risos]. À noite, no jantar, lá vinha ele falar dos dribles e nós a borrifar-nos para os dribles dele: queríamos era explicar que o importante era contribuir para a equipa. Mas a verdade é que quando ele não estava, e em conversa de grupo, dizíamos que iria ser Bola de Ouro. Pela forma como trabalhava, o talento todo, não havia dúvida para mim, para o Fernando Couto, Pauleta, Nuno Gomes, para todos os jogadores mais velhos e experientes", afirmou.

E continuou, lembrando que CR7 teve de ser 'travado' algumas vezes: "Fazíamos sprints nos treinos e ele chegava a pôr pesos nos pés. Dizíamos para ele tirar aquilo para não ficarmos mal vistos. Sentíamos mesmo que estava ali um atleta com uma abnegação fora do normal que tinha, na cabeça e nos pés, a ideia que iria ser o melhor. Felizmente para todos, isso aconteceu."

Sobre o 'duelo' Ronaldo vs. Messi, de que fala o livro ontem apresentado, Rui Costa afirmou que "eles mesmo sendo rivais ajudaram-se mutuamente".

"Calharam na mesma geração, no mesmo campeonato e em equipas diferentes e rivais em campo, o que fez com que um nunca pudesse baixar a guarda porque estava lá o outro para lhe roubar a Bola de Ouro. E não é por acaso que eles a ganharam nestes últimos dez anos. A novidade é que, este ano, foi outro atleta a ganhá-la".

Partilhar no Facebook
244 244 Partilhas

Fonte: JN
Crêdito foto: JN

Goste/partilhe