Animais : Homem é condenado a pena de prisão efetiva por estripar cadela grávida
Que acha? Deixe o seu comentário aqui.  

Homem é condenado a pena de prisão efetiva por estripar cadela grávida

Enfermeiro no Ultramar fez cesariana a sangue frio a cadela

Publicado por Vamos lá Portugal em Animais
Partilhar no Facebook
396 396 Partilhas

Um ex-enfermeiro da guerra do Ultramar, hoje em dia com mais de 60 anos, foi condenado a 16 meses de prisão efetiva por por quatro crimes de maus tratos a animais pelo Tribunal de Setúbal.

Esta foi a primeira pena de prisão efectiva por crimes contra animais desde que a lei que o penalizaentrou em vigor, em 2014.

Marisa Quaresma dos Reis, provedora dos Animais de Lisboa, disse "um dia histórico para o percurso dos direitos animais."

O tribunal provou que Hélder Pasadinhas fez uma intervenção cirúrgica, a “sangue frio” numa cadela dele, que estava em trabalho de parto, para retirar os fetos, 4 animais, a cadela e três filhotes, morreram na sequencia deste ato.

A incisão feita na cadela foi “grosseira e irregular”, os fetos foram clolocados no lixo onde morreram de fome e frio. A cadela foi abandonada num canto da casa após a operação, sem assistência veterinária e acabaria por morrer dois dias depois.

Os fatos aconteceram na Venda do Alcaide, concelho de Palmela, distrito de Setúbal, no dia 3 de Fevereiro de 2016. O juiz sublinhou o “sofrimento atroz” que viveu cadela pela dor da incisão feita a “sangue frio” e por ser posteriormente abandonada naquele estado, o juíz classificou a conduta como “crueldade” e recusou a ideia de que o arguido tivesse tentado ajudar a cadela ou salvar os nados-vivos uma vez que de imediato os atirou ao lixo.

“Isto não foi para ajudar a cadela. Não é um motivo legítimo nem há qualquer estado de necessidade que justifique aquela intervenção. Nem de perto nem de longe”, disse o juiz na leitura da sentença.


Outras notícias:

Duas mulheres fazem um cachorrinho fumar canabis e filmam tudo

Às vezes na vida há pessoas que fazem atos totalmente irresponsáveis porque acham que vai ser engraçado como  duas mulheres tailandesas que deram canabis a fumar a um cachorrinho.

Este é o site de notícias e entretenimento do Reino Unido, o Daily Mail, que relata esta notícia que vai perturbar e entristecer todos os que adoram animais que estão cansados de vê-los a ser abusados em todo o planeta. Da Tailândia chegou-nos um vídeo de duas mulheres que dão de fumar a um cachorrinho canabis. O vídeo demora cerca de 50 segundos. De fato, nas imagens pode ver um cão completamente amorfo com um charro na boca. Ele está deitado no colo de uma das duas mulheres e parece não ter reação tanto que a dado ponto do vídeo ele parece ter morrido.

Finalmente, no fim do vídeo, percebemos que ele ainda está vivo e podemos vê-lo a abrir os olhos timidamente. Você realmente sente que o pobre animal está apavorado e está passando por um momento muito mau para ele. Parece que ele só quer que essas duas mulheres o deixem em paz. Infelizmente, não foi exatamente isso que elas planejaram. Elas realmente parecem achar engraçado estar literalmente a maltratar um animal, filmando a cena e publicando-a nas redes sociais. Uma atitude de enorme crueldade.

Além disso, como você pode imaginar, uma vez que o vídeo foi publicado no Youtube, ele tornou-se completamente viral, mas não necessariamente pelas razões certas. De fato, o LADbible explica que as duas mulheres receberam muitos comentários negativos pelo que fizeram ao cachorrinho. Assim elas que pensavam ter reações positivas pelo vídeo, são enormemente atacadas pelos usuários da Internet que as acusam de abuso de animais. Muitos dizem que devem se envergonhar da sua atitude.

A história vai ainda mais longe porque muitas pessoas pediram que as autoridades tailandesas lhes retirassem o animal porque elas cuidaram muito mal dele e colocaram sua vida em perigo ao fazê-lo fumar canábis. E só podemos concordar com eles, um cachorrinho não é um brinquedo, é um animal que deve ser bem tratado. Infelizmente não temos mais informações sobre esta história e não sabemos o que aconteceu com as mulheres e com as autoridades tailandesas.

Agora vamos deixá-lo ver o vídeo completo abaixo, mas nós preferimos avisá-lo que pode ser muito chocante:

Esta história dá que pensar e dá-nos a ideia que algumas pessoas não devem ter animais.

O Canadá legaliza oficialmente a canábis recreativa

Esta quarta-feira, 17 de outubro, o Canadá tornou-se o segundo país do mundo e o primeiro país do G20 a legalizar a canábis recreativa.

Passou quase um século desde que a canábis foi proibida no Canadá. Hoje, o Canadá seguiu o exemplo do Uruguai, pioneiro no campo, legalizando a canábis recreativa com o objetivo de eliminar o mercado negro.

À meia-noite, a leste do Canadá, dezenas de pessoas apresentaram-se à frente de uma loja Tweed, que abriria a essa hora tardia para a ocasião, para vender as primeiras poucas gramas de canábis "Legal".

A legalização da canábis foi um dos compromissos de Justin Trudeau, chefe do governo canadiano desde há três anos. Dito isso, o governo quiz deixar a cada província a organização do comércio.

A canábis é agora legal no Canadá.

No Quebec, uma dúzia de lojas estatais da Quebec Cannabis Society (SQDC) foram abertas e poderão ser abertas 150 nos próximos três anos. No entanto, Manitoba e Alberta, para começar, permitiram apenas alguns pontos de vendas privados. Estima-se que o mercado legal valha cerca de 6 bilhões de dólares (4 bilhões de euros) por ano e por província.

Justin Trudeau lembrou que esta legalização deveria permitir restringir o acesso da droga a menores e "tirar o dinheiro dos bolsos das organizações criminosas".

A data de 17 de outubro de 2018, portanto, foi devidamente celebrada em várias cidades, incluindo Toronto e Montreal, mas também na Bolsa de Valores de Toronto, onde bilhões de dólares foram investidos neste novo mercado lucrativo. Por exemplo, a Canopy Growth, líder de mercado, ganhou 448% num ano e valia na noite de terça-feira 13,88 bilhões de dólares.

Bill Blair, ministro responsável pela redução do crime organizado, recorda que a legalização da canábis é principalmente um processo, não um acontecimento: "Durante quase um século, grupos criminosos controlaram totalmente o mercado, 100% de sua produção e distribuição, e beneficiaram de bilhões de dólares todos os anos. Eles não desaparecerão em silêncio durante a noite. "

De fato, Bill Blair pretende amputar 25% do mercado negro até o final do ano, mais de metade dentro de um ano. Finalmente, o Departamento de Justiça indicou que levaria quatro anos para erradicar totalmente o mercado negro.

Partilhar no Facebook
396 396 Partilhas

Fonte: publico
Crêdito foto: publico

Goste/partilhe